Sobral
Typography
De acordo com o Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Brasil é líder mundial em registros de raios com uma média de 77,8 milhões de raios por ano. Segundo o Instituto, a chance de uma pessoa ser atingida diretamente por um raio é muito baixa, menor que 1 para 1 milhão. No entanto, se a pessoa estiver em área descampada embaixo de uma tempestade forte, esta chance pode aumentar em até mil vezes (chegando a 1 para mil).
 
De 2000 a 2017, data mais recente analisada pelo grupo, 2.044 pessoas morreram no País em decorrência de descargas elétricas naturais. O número resulta em cerca de 300 mortes desse tipo por ano. O estudo do Elat concluiu ainda que 43% das mortes acontecem durante o verão e que duas a cada três mortes ocorrem ao ar livre. Recomenda-se evitar praias durante tempestades, pois o risco de raio é maior.
 
Em geral, as mortes e os ferimentos provocados por raios não ocorrem em situações em que as pessoas são atingidas diretamente, e sim pelos efeitos indiretos das descargas elétricas. A corrente do raio pode causar queimaduras e a maioria das mortes é causada por parada cardíaca e respiratória.
 
Durante as tempestades de verão, o ideal é procurar abrigo em:
 
- Veículos fechados, desde que não se encoste à lataria até a tempestade passar
 
- Casas ou prédios, de preferência que possuam proteção contra raios
 
- Metrôs e túneis subterrâneos.
 
O Inpe aconselha ainda que as seguintes situações sejam evitadas:
 
- Praticar atividades de agropecuária ao ar livre
 
- Ficar ao lado de veículos ou andar de bicicleta e moto
 
- Permanecer em campo aberto, como gramados esportivos e praias, embaixo de árvores ou perto de cercas
 
- Tocar em objetos condutores de eletricidade (telefones fixos com fio, celulares conectados a carregadores ou objetos metálicos grandes)
 
- Acolher-se em um abrigo aberto, como deques, sacadas, toldos e varandas.
 
Raios no Nordeste
 
O Ceará ocupa a 19ª posição no ranking nacional de média de incidências de raio. O Estado registrou 148.063 raios entre junho de 2014 e junho de 2015, período mais recente monitorado. De acordo com a Enel, que monitora os raios no Ceará, a cidade de Santa Quitéria foi a que registrou a maior quantidade de descargas atmosféricas, com 5.903. Em seguida vem as cidades de Granja, com 5.589, e Sobral, com 4.330. A capital cearense contou com 239 raios no mesmo período.
 
A meteorologista Valesca Rodriguez Fernandes, do Núcleo de Monitoramento de Descargas Atmosféricas, explica que a atuação da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) favoreceu o desenvolvimento de tempestades isoladas na porção leste do Nordeste brasileiro nesta quarta-feira. O escoamento de um Vórtice Ciclônico de Altos Níveis posicionado sobre o oceano Atlântico intensificou a ação da ZCIT.
 
O Povo
BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS