Educadora 950

Educadora 950

 A Rádio da Família Cristã

Aconteceu em Franca, no interior de São Paulo. A Ministra da Eucaristia Maria Emília da Silveira Castaldi, de 76 anos, estava saindo de casa para ir à Missa e depois levar a Sagrada Comunhão a enfermos da paróquia a que ela pertence. Os objetos que ela utilizaria, como o terço, a teca vazia, e o livro de liturgia diária estavam sobre o banco do passageiro do carro dela. Segundo a Ministra, quando ela deu partida no veículo, uma fumaça começou a sair do capô. Rapidamente o fogo se espalhou.

O carro, um Gol, estava na garagem da casa e precisou ser empurrado para rua. Um vizinho e um rapaz que passavam pelo local ajudaram e acionaram o Corpo de Bombeiros.

Enquanto o fogo avançava, dona Emília disse que ficou em oração, pedindo que as chamas não chegassem ao tanque de combustível e provocassem uma explosão. Logo os bombeiros controlaram o fogo e autorizaram a proprietária a abrir o carro. Foi quando ela se surpreendeu: “Abri a porta e quando vi estavam os três objetos intactos. A oração ‘Oferecimento do Dia’, além de não queimar, também não molhou. Já o carro ficou preto, todos os plásticos derreteram; dos bancos ficaram somente os ferros”.

Ao presenciar aquela cena, a reação da Ministra foi chorar. “Foi muito emocionante. Para mim foi uma graça muito grande. Não tem explicação… Os materiais não têm marca de queimado nem cheiro…

“Tenho certeza que a graça de Deus estava junto comigo. Se não tivesse, teria acontecido o pior”, disse Dona Emília.

A palavra do bispo

Para o bispo diocesano de Franca, Dom Paulo Roberto Beloto, o ocorrido é um fato que impressiona. “Não podemos negar que Deus possa nos comunicar algo através dos fatos da vida. Mas são experiências particulares, que respeitamos”.

Dom Paulo ressaltou também que “não podemos medir a nossa fé, experiência de Deus e de Igreja por fatos assim”.

Ainda segundo o bispo, “o que Deus tem para nos comunicar de mais concreto sobre sua verdade e sua vontade está presente nas Sagradas Escrituras, na Revelação de Nosso Senhor Jesus Cristo e no Magistério da Igreja. Esta é a nossa segurança e o caminho que devemos seguir”.

Ao portal G1, o bispo disse que vai solicitar ao tribunal eclesiástico uma investigação sobre o caso. “Não havia hóstia, por isso não podemos dizer que foi um milagre eucarístico. Mas, é um fato impressionante”, finalizou Dom Paulo.

Fontes: Pascom Diocese de Franca e G1

Em um local improvável, arqueólogos encontraram os ícones mais antigos já descobertos com referência aos apóstolos Pedro e Paulo. A descoberta aconteceu em Roma, em um local próximo à Basílica de São Paulo Extramuros, uma das quatro da capital italiana, de propriedade do Vaticano.

Nas pequenas catacumbas de Santa Tecla, localizadas na Via Ostiense, em Roma, a 500 metros da Basílica de São Paulo Extramuros, os arqueólogos encontraram os ícones no mesmo local onde, 9 anos antes, a descoberta dos restos mortais de um homem também havia sido documentado.

De acordo com informações do portal Aleteia, os arqueólogos identificam esses restos como os do próprio apóstolo Paulo. Agora, a nova descoberta aconteceu em um pequeno cubículo de uma antiga tumba, a quatro metros de profundidade, em um edifício de uma companhia de seguros construído na década de 1950.

Os ícones localizados estão gerando a pergunta: seriam esses os rostos dos apóstolos Pedro e Paulo? Os arqueólogos já sabiam deste cubículo desde 1720, mas os ícones estavam completamente cobertos por uma espessa camada de cal, o que tornava impossível detectar que pudesse haver alguma pintura ali. A descoberta de agora só foi possível graças às novas técnicas arqueológicas baseadas no uso de lasers.

Apresentada em 22 de junho de 2010 pelo presidente da Pontifícia Comissão de Arqueologia Sacra e presidente do Pontifício Conselho da Cultura, Cardeal Gianfranco Ravasi, a descoberta é fruto de uma iniciativa que começou um ano antes, em 2009, quando parte da camada de cal foi removida, revelando um dos ícones referentes ao apóstolo Paulo.

Fabrizio Bisconti, professor de arqueologia cristã e medieval na Universidade de Roma, anunciou a descoberta, explicando que depois de várias tentativas de descobrir se havia imagens por trás da cal, o laser finalmente as revelou. “Quando removemos a camada de cal, descobrimos retratos de três outros apóstolos, além de São Paulo: Pedro, André e João”, revelou.

O jornalista Jesús Colina, da Aleteia, comentou o nível de detalhe dos retratos: “É realmente impressionante ver como os primeiros cristãos podiam diferenciar os rostos de cada um dos apóstolos com tanta precisão. Como pode ser visto nas imagens da galeria, a maneira pela qual os apóstolos são representados iconograficamente dificilmente muda ao longo da história”.

FonteGospel Mais 

A Igreja no Brasil celebra em agosto o mês vocacional. Neste ano, a temática é “Seguir Jesus à luz da fé” e o lema: “Sei em quem acreditei” (2Tm 2,12). A cada domingo do mês, celebra-se uma determinada vocação, sendo que cada um conta com sugestões de oração, elaboradas pela Pastoral Vocacional do Brasil em parceria com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). 

“O objetivo principal é animar e reanimar as comunidades, paróquias e dioceses que rezem pelas vocações de forma especial incentivando as orações e promovendo as vocações em cada realidade e da sua maneira”, destaca o coordenador nacional da Pastoral Vocacional, padre Elias Aparecido da Silva.

No primeiro, celebra-se sacerdócio e os ministérios ordenados; no segundo, o matrimônio junto à semana da Família; no terceiro, a vida consagrada, e por fim, no quarto, a vocação dos Leigos. Cada oração tem comentário inicial, preces e oração final. O material e o cartaz já estão disponíveis.

Padre Elias convida os fiéis a celebrar esse mês vocacional na sensibilidade da oração, colocá-lo como intenção no seu terço, no grupo de oração. Segundo o padre, cada um pode rezar do seu modo de rezar e promover a vocação em suas comunidades.

Na abertura do mês vocacional, também será lançado o texto base do 4º Congresso Vocacional do Brasil que vai acontecer de 5 a 8 de setembro de 2019, em Aparecida (SP), cujo tema será: “Vocação e discernimento”.

O mês vocacional foi instituído em 1981, pela CNBB, em sua 19ª Assembleia Geral. O objetivo principal era o de conscientizar as comunidades da responsabilidade que compartilham no processo vocacional.

Programação conta com quatro conferências e cinco seminários promovendo a integração e partilha de experiências entre personalidades e estudiosos do setor de comunicação

O 6º Encontro Nacional de Comunicação, que teve início na quinta-feira, 19, e segue até o próximo domingo, 22, em Aparecida/SP, tem como tema “Comunicação e Igreja”. No primeiro dia do evento foi realizada Conferência com o tema “O Caminho da Comunicação na Igreja” com a assessoria de Irmã Joana Puntel. Organizado pela Comissão de Pastoral da Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o encontro mobiliza comunicadores católicos de todo o País. Alex Ferreira, coordenador de comunicação da CNBB Ceará, representa o Regional.

Na manhã da quinta-feira, 19, foram eleitos coordenador nacional e secretária da Pascom, durante a reunião privativa dos bispos referenciais, assessores e coordenadores dos regionais, realizada em Aparecida. Os escolhidos foram os agentes: Marcus Tulius (Regional Leste 2), como coordenador nacional e Patrícia Luz (Regional Nordeste 3) como secretária.

Participantes da reunião de bispos referenciais, assessores e coordenadores da Pascom dos regionais do Brasil estiveram reunidos em um momento de articulação e definição de estratégias para a atuação pastoral. Durante Encontro dos Bispos Referenciais e Coordenadores da Pascom foi realizado um balanço da comissão das atividades do quadriênio. Em um segundo momento, fizeram uma reflexão em torno do estudo 111. A palestra foi ministrada pelo professor Paulo Giraldi. O terceiro ponto: discutido foi a coordenação da Pascom Nacional.

Programação

O evento conta com quatro conferências e cinco seminários promovendo a integração e partilha de experiências entre personalidades e estudiosos do setor de comunicação, bispos, sacerdotes, religiosos e os leigos agentes da Pascom de todo o Brasil. Na programação acontecem também painéis, lançamentos de livros, noite cultural, celebrações eucarísticas e a cerimônia de entrega dos Prêmios de Comunicação da CNBB.

A programação do Encontro teve início na quinta-feira, 19, com a conferência “O caminho da comunicação na Igreja” proferida pela Ir. Joana Puntel. Na sexta-feira, 20, Ricardo Alvarenga trouxe a conferência “A vivência comunicacional na Igreja na América Latina”. O painel Leitura crítica da mídia em tempos de Fake News foi coordenado por Elson Faxina enquanto o tema “A Rádio como instrumento de evangelização e integração da comunidade” será conduzido por Jessé Barbosa. A programação do dia contará ainda com Celebração Eucarística, Momento dos Regionais, Seminários e Noite cultural com Cerimônia de Entrega dos Prêmios de Comunicação da CNBB.

Após celebração eucarística, a programação do sábado, 21, trará a conferência “Uma Pastoral para a Comunicação” com Dom Leomar Brustolin e o Painel Perspectivas sobre a comunicação católica no Brasil e Perspectivas para a Pastoral da Comunicação a partir do Diretório de Comunicação com Moisés Sbardelotto, além de Pe. Rafael Vieira abordando a Assessoria de Imprensa na Igreja. Haverá ainda plenária, momento dos Regionais, Seminários e Lançamento de Livros. No domingo, 22, a conferência “A Igreja e o período eleitoral: orientações pastorais” ficará a cargo do Pe. Paulo Renato. Haverá ainda Momento dos Regionais e Cerimônia de Encerramento. (Com informações da Pascom Brasil)

Irmã Maria Silveira é única religiosa da Diocese de Sobral a compor o Projeto Missão da Vida Religiosa Jovem na Amazônia

A Congregação das Missionárias Reparadoras do Coração de Jesus enviou a religiosa Irmã Maria Silveira em missão para a Amazônia neste mês de julho. A missionária participa do Projeto Missão da Vida Religiosa Jovem na Amazônia – Prelazia do Marajó, estado do Pará, de 14 a 29 de julho. Mais de 20 congregações religiosas brasileiras enviaram missionários. Na Diocese de Sobral, a Congregação das Missionárias Reparadoras é a única a compor a iniciativa. A Santa Missa de envio foi realizada na quinta-feira, 12, presidida pelo vigário geral da Diocese, Monsenhor Gonçalo de Pinho Gomes.

O Projeto Missão da Vida Religiosa Jovem na Amazônia foi criado em 2013, pela iniciativa das Comissões Episcopais para a Amazônia, Comissão Missionária Nacional, Conferência dos Religiosos do Brasil – CRB Nacional e Pontifícias Obras Missionárias. Além do envio missionário, a CRB também conta com ações formativas como cursos e eventos.

Durante missa de envio, Monsenhor Gonçalo pediu que a jovem missionária anuncie com ousadia o Reino de Deus. “Eu vos envio, ide e evangelizai! Apresenta o amor incondicional, gratuito e misericordioso do Pai, anunciando Jesus Cristo vivo e libertador. Ùnico verdadeiro Salvador que da morte faz brotar a vida. Cuida para que a atividade missionária integre fé e vida, promova a dignidade da pessoa e da família, que o Espírito Santo seja a luz iluminadora de toda a tua missão”, ressalta

A Conselheira da Congregação, Ir. Maria Selma do Nascimento, pediu orações por Irmã Maria Silveira. “Confiamos a Deus nossa Irmã Maria Silveira, nessa jornada missionária, na qual enfrentará muitos desafios, inclusive horas e horas de viagens pelas águas amazônicas. Mas o mais importante: Ir. Maria será revestida de grande amor à causa do Reino de Deus e do zelo missionário”, ressalta. A missionária disse estar feliz com o envio e pediu proteção de Deus. “Sou feliz pela graça de participar dessa missão na Amazônia, confiando-me ao Coração de Jesus e à proteção de Maria Santíssima. Com alegria, digo eis-me aqui, Senhor, envia-me!”

Missionariedade

A missionariedade é própria do carisma das Reparadoras, segundo irmã Fátima Cunha, coordenadora da Casa das Reparadoras no Menino Deus. “Somos missionárias em missão reparadora. Nossa oração, nossa missão e nosso carisma são de evangelização”, ressalta. As Missionárias Reparadoras do Coração de Jesus estão em missão em paróquias e pastorais em todas as regiões episcopais da Diocese de Sobral.

A Congregação Diocesana também está presente nas dioceses de Tianguá e Itapipoca e Arquidioceses do Rio de Janeiro, São Paulo e Fortaleza. As 62 religiosas atuam em especial dando prioridade à catequese e à liturgia.  A ordem religiosa foi fundada há 60 anos por Pe Arnóbio de Andrade, em Sobral, e tem como patrono o Sagrado Coração de Jesus e como santos protetores Santa Teresinha, padroeira das missões, e Santo Antônio com sua evangelização reparadora.

A Festa do “Perdão de Assis”, celebrada na segunda-feira, 2 de agosto, reunirá centenas de fiéis no Santuário São Francisco, em Sobral. Quem participar poderá receber a indulgência plenária. As condições para receber a indulgência são a confissão sacramental, participação na Santa Missa e Comunhão Eucarística e as orações do Credo, Pai Nosso, Ave Maria e Glória ao Pai nas intenções do Papa. Haverá confissão o dia inteiro a partir das 6h e santa missa celebrada às 6h, 9h, 12h, 17h e 19h.

O Perdão de Assis relembra a memória da Festa de Nossa Senhora dos Anjos na pequena Porciúncula, onde São Francisco teve uma experiência com a misericórdia de Deus que o chamava a reconstruir sua Igreja.

Redação Correio da Semana

O ditador comunista da Nicarágua, Daniel Ortega, continua reprimindo duramente o seu povo. Antes “mediadora” entre governo e oposição, a Igreja Católica respondeu aos ataques com oração jejum. Um dia após ser chamada de “golpista”, fez uma convocação aos fiéis de todo o país para fazerem juntos a “oração do exorcismo” nesta sexta-feira (20).

A missa na igreja da Divina Misericórdia, localizada na capital Manágua, estava lotada de fiéis. O local foi palco, na semana passada, do ataque de paramilitares que deixou dois estudantes mortos. “Essas balas nas paredes também atingiram Cristo”, lamentou, durante o sermão, o padre Erick Alvarado, 38, que estava no templo durante o cerco e testemunhou a morte dos jovens que se abrigavam no local.

Ainda podem ser vistos os sinais da violência tanto nas paredes externas quanto internas, marcadas por tiros, de grosso calibre. Três acertaram uma imagem de Jesus Cristo pendurada na parede.

O padres puxou a oração que dizia: “Precipitai ao inferno a satanás e a todos os espíritos malignos que andam pelo mundo para perder as almas”. A conhecida invocação foi escolhida pela Conferência Episcopal da Nicarágua (CEN), que também pediu que os católicos a jejuarem por um dia em favor do país.

Mesmo sem citar o nome do presidente, ficou evidente que é uma resposta à acusação de Ortega que a Igreja Católica estava apoiando “seitas satânicas”, como o presidente chama seus opositores.

De fato, a CEN se tornou uma das mais ferozes críticas contra Ortega, que tem ordenado uma forte repressão aos protestos da população e já deixaram ao menos 360 mortos desde o início das manifestações, em abril.

A Aliança Evangélica da Nicarágua (AEN) foi mais branda e optou por divulgar apenas uma nota, pedindo ao governo que cumpra a lei e exigindo “respeito ao flagelo da intolerância e injustiça que estão vivendo diariamente por denunciar com uma voz profética os abusos em curso na Nicarágua”. O documento, assinada pelo presidente da AEN, Mauricio Fonseca, os representantes evangélicos pediram às Nações Unidas, à OEA e à Comunidade Européia agissem para impedir “a repressão e morte do povo”. Com informações de NCR

 

Doações podem ser feitas em conta corrente ou diretamente na paróquia

A imagem de Nossa Senhora da Conceição, localizada no topo da torre da Catedral de Sobral, está sendo restaurada. Os trabalhos, que não estão inclusos nas obras de restauração da Catedral, deverão ser executados pela própria paróquia que está promovendo uma campanha de doações. Os valores doados devem ser entregues na Igreja ou na secretaria paroquial ou depositados em uma conta.

Em estilo barroco, a imagem da Imaculada Conceição, padroeira de Sobral, foi produzida por Pedro Furtuoso e seu Filho Antonio Furtuoso, a pedido de Dom Aldo Pagotto, então bispo de Sobral. A belíssima pintura da Imaculada Conceição, em tecido, que está no Centro da Igreja Menino Deus também é de autoria de Pedro Frutuoso, pintada em 1949.

Os trabalhos de restauração da Catedral de Nossa Senhora da Conceição (Sé) já contemplam 1 ano e meio. A igreja passou por uma recuperação do forro da nave central em janeiro deste ano e a expectativa é de que a restauração esteja totalmente concluída até o final do ano. As intervenções custam R$ 2,1 milhões. Também passarão pela reforma uma tela e um camarim que existem no altar principal. As obras contemplam ainda a restauração dos vitrais, uma revisão do telhado;

A Catedral de Nossa Senhora da Conceição (Sé) tem um estilo predominante do Século XIX, mas com alguns remanescentes do Século XVIII com as pias de água benta, lavabo e pedras de lioz da portaria. Há ainda imagens do final do Século XVIII como a de Nossa Senhora da Conceição e do Senhor Morto.

Serviço

Doações para restauração da Imagem de Nossa Senhora da Catedral Diocesana podem ser feitas:

Conta Corrente Caixa Econômica Federal:

Ag554

Op 003

CC 4792 – 6

Na Secretaria da Paróquia ou no Cofre da Paróquia que fica ao lado da imagem

Ministério da Saúde atribui alta ao surto de zika e aos fatores negativos da crise econômica.  Em Sobral, não houve casos da doença, mas a recessão econômica preocupa

A mortalidade infantil, que vinha apresentando índices de redução constantes desde a década de 1990, voltou a crescer. As principais causas apontadas foram o surto de zika vírus e a crise econômica. Nacionalmente, segundo dados do Ministério da Saúde, foi registrado um aumento de 4,8% no índice em 2016 na comparação com 2015; foram 14 mortes a cada mil nascidos em 2016 contra 13,3 mortes (a cada mil) registradas em 2015. No Ceará, o índice de mortalidade infantil no Ceará foi de 14,3 óbitos a cada 100 mil habitantes em 2016 enquanto no ano anterior foram 13 óbitos por grupo de 100 mil habitantes. Em Sobral, a taxa fechou em 7,8% em 2017, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, o que mostra a continuidade de uma tendência de queda.

A alta pode ser explicada pelo surto de vírus zika, que afetou principalmente as crianças, conforme a Secretaria da Saúde do Ceará. O vírus, se contraído por uma gestante, pode ocasionar microcefalia no bebê, o que pode levar à morte da criança. Em 2016, o Ceará teve 96 casos de microcefalia.

Em Sobral, a mortalidade continua em queda, mas já há um risco maior para as famílias e para as crianças: a crise econômica. E a população já tem sentido esses efeitos, segundo a ajudante de produção Marcilane dos Santos Silva, 30, mãe de duas crianças de três e oito anos. “A crise diminui o volume de dinheiro para comprar alimentos, para a limpeza, para gastar com saúde. O desemprego aumenta e tudo fica mais caro, principalmente os produtos para as crianças”, lamenta. Ela disse que se a situação de crise continuar no Brasil, as crianças podem voltar a morrer de fome ou em virtude das doenças. “Quem é prejudicado é o povo”, diz.

Redução da

mortalidade

Para incentivar a redução da mortalidade infantil em Sobral, a prefeitura criou desde 2001 a Estratégia Trevo de Quatro Folhas. O objetivo é criar políticas que contemplem as gestantes, puérperas e crianças de até 2 anos, reduzindo a mortalidade materna e infantil. Gerente do Trevo, o enfermeiro Carlos Romualdo ressaltou que a elevação dos índices de mortalidade não se observaram em Sobral porque não houve casos confirmados de zika. Além disso, a crise econômica não mostrou seus efeitos devastadores como em outras partes do País. “Não tivemos surto de zika e nossa estratégia de atenção à saúde materna e infantil tem conseguido manter a trajetória de redução da mortalidade”, garante Carlos Romualdo.

O gerente explicou que o Trevo conta com 4 enfermeiros, 2 assistentes sociais, 1 psicólogo, 2 médicas para acompanhar 246 pessoas entre gestantes, puérperas e crianças de até 2 anos. A estratégia possibilitou que a taxa de mortalidade caísse de 54,67 mortes a cada mil nascidos em 1996 para 7,8 em 2017. Dentro do Trevo de Quatro Folhas, existe o projeto Flor do Mandacaru que conta com apoio psicológico e médico para adolescentes de 10 a 19 anos desenvolvendo estratégias de saúde sexual e reprodutiva com o objetivo de evitar gravidez indesejada e DST/Aids.

O projeto Coala, que existe desde 2013, acompanha bebês prematuros até que consigam ganhar peso. “Todos os prematuros nascidos de partos antes dos sete meses e abaixo de 2 kg são acompanhados independente das condições socioeconômicas da família”, ressalta. Foram atendidos 83 bebês este ano até junho.

Além disso, segundo Romualdo, são desenvolvidas ações para reduzir a mortalidade materna. “A cada ano, em média uma mulher morre e queremos zerar essa taxa melhorando sempre a qualidade do pré-natal, de atenção ao parto e ao pós-parto”, ressalta. Também são oferecidas em parceria com outras instituições cestas básicas para as gestantes e puérperas com dificuldades econômicas. Para as puérperas, há o apoio do projeto mães sociais, mulheres da comunidade que recebem uma gratificação para auxiliarem as mães que necessitem de ajuda no ambiente familiar ou hospitalar.

Taxa de mortalidade infantil no Brasil, Ceará e Sobral

Brasil

1996 – 25,47

2016 – 14

Ceará

1996 –  37,35

2016 – 14,3

Sobral

1996 – 54,67

2017 – 7,8

Mortalidade

Assunção Braga Sousa, 51, massagista

A crise econômica e o consequente desemprego gerado podem aumentar os índices de mortalidade das crianças, segundo a massagista Assunção Braga Sousa, 51. “As condições vão ficando piores para os pais e também para as crianças devido o desemprego. Falta dinheiro para comprar comidas e nem sempre o posto tem médico”, lamenta. Ela disse ainda que a inflação está aumentando e mesmo quem está empregado está precisando apertar as contas porque tudo está mais caro.

Podem enviar projetos para o FDS entidades que preferencialmente trabalhem com a temática proposta pela Campanha da Fraternidade 2018 – “Fraternidade e superação da violência”

Agressão, discriminação, abuso, tortura, coerção, bullying. Muitos são os tipos de violência que assolam a sociedade e prejudicam as relações entre as pessoas. Atenta ao problema que está diretamente ligado às principais mazelas sociais, a Igreja Católica propôs para este ano a discussão da temática “Fraternidade e Superação da Violência” na Campanha da Fraternidade. Na Diocese de Sobral, além de trazer a problemática para o debate, estão sendo desenvolvidas ações concretas nas pastorais sociais e em instituições como a Fazenda da Esperança. Além disso, foi lançado o edital do Fundo Diocesano de Solidariedade da Diocese de Sobral destinado a projetos cujo principal objetivo seja a superação da violência.

Podem enviar projetos para o FDS entidades sociais sem fins lucrativos e/ou de apoio movimentos sociais que estejam habilitados preferencialmente a trabalhar com a temática proposta pela CF 2018 – “Fraternidade e superação da violência” e que estejam com a situação fiscal regular. O objetivo do edital do Fundo Diocesano de Solidariedade é “proporcionar às paróquias, pastorais e organismos o acesso aos recursos do FDS. Queremos trabalhar em prol de uma sociedade justa e fraterna com os nossos irmãos carentes e necessitados em busca de uma sociedade justa, fraterna, cristã e humanitária, assim possibilitando alternativas para gerar trabalho, renda e formação”, ressalta o bispo diocesano Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos e Maria do Socorro de Jesus da Cáritas Diocesana de Sobral/Comissão do FDS no edital.

A Igreja tem demonstrado uma perene preocupação com a superação da violência, segundo o chanceler da Cúria Diocesana, Pe. Agnaldo Temóteo da Silveira. “A Igreja demonstra preocupação com a violência desde sempre. Neste ano, com a Campanha da Fraternidade, tem promovido uma intensa reflexão que leva às raízes da violência”.

O sacerdote explica que as ações de repressão têm se tornado insuficientes diante de uma sensação de impunidade, de uma desigualdade cada vez maior e de um ciclo de violência. “A Igreja sempre viu e lutou para superar a desigualdade social e a injustiça”, garante. Romper o ciclo da violência é uma necessidade, segundo Pe. Agnaldo. Ele cita um caso hipotético de um pai que é humilhado no trabalho, leva a raiva para casa e espanca o filho; a criança por sua vez leva essa violência sofrida para a escola.

“A violência não é só agressão física, mas é uma situação estabelecida na sociedade e muitas vezes não é levada em conta. É tão sutil que às vezes nem percebemos”, lamenta. A indiferença da sociedade à violência também é outro entrave, de acordo com Pe. Agnaldo. “O que se percebe é uma indiferença em relação às notícias de violência. Como se alguém agredido ou morto não fosse mais capaz de tocar nossos corações”, completa.

Igreja e Sociedade

A principal contribuição que a Igreja pode dar à sociedade para superar a violência é o anúncio explícito de Cristo, segundo Pe. Agnaldo. “A principal contribuição é proporcionar à sociedade um tempo de reflexão. A Igreja é anunciadora do Evangelho e do perdão. O caminho para superar a violência é sempre o amor que aplaca a sede de vingança”, ressalta. Os ensinamentos da Igreja também trazem à sociedade os valores morais.

Entre as pastorais sociais, Pe. Agnaldo ressalta a atuação da Igreja nas causas das crianças, idosos e na pastoral da sobriedade.  A Fazenda da Esperança São Bento, que celebra 10 anos em Sobral em 2018, já acolheu mais de 500 homens desde que foi fundada. A instituição busca recuperar jovens da dependência química.