Educadora 950

Educadora 950

 A Rádio da Família Cristã

Os organizadores da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Panamá 2019 anunciaram o programa oficial do Festival da Juventude, cujo objetivo é que os jovens se integrem e compartilhem a sua fé através da música, do cinema, do teatro, da gastronomia, da dança, da fotografia e de outras experiências artísticas. No total, serão 33 sedes que receberão o festival que acontecerá de 23 a 27 de janeiro de 2019, de forma gratuita. Segundo um comunicado do Comitê Organizador Local (COL), o evento terá oito plataformas oficiais e identificadas com os nomes dos santos padroeiros da JMJ. Também haverá plataformas de satélites nos principais centros comerciais da capital panamenha e apresentações em teatros, museus e templos de adoração, indicou o COL. Com a presença de mais de 200 artistas de cerca de 46 países diferentes, entre os quais Alfareros (República Dominicana), Siervas (Peru), Athenas (Argentina), Luis Enrique Ascoy (Peru), La Voz del Desierto (Espanha), Jon Carlo (Estados Unidos) e entre outros. Uma novidade do festival é o desenvolvimento da “Copa JMJ 2019”, um torneio amistoso de futebol a ser realizado na quarta-feira, 23 de janeiro, no Town Center, Costa del Este. “O objetivo deste encontro é unir os jovens do mundo através de uma atividade esportiva que será mais para compartilhar do que competir; uma ocasião para desenvolver os valores do trabalho em equipe, do companheirismo, do esforço, do respeito, da honestidade e da colaboração”, sublinha o COL. Para conhecer o programa completo e a localização das sedes do Festival da Juventude, acesse AQUI. Fonte: Site Notícias Católicas
O encontro dos jovens na Casa da Mãe Aparecida já tem data! A Romaria Nacional da Juventude 2019 acontecerá no dia 27 de abril de 2019 no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida a partir das 13h30. Com o tema “Maria: Paixão pela vida e pelo Senhor da vida”, o evento reunirá os jovens para momentos de espiritualidade, formação e confraternização, proporcionando um grande encontro das diversas expressões juvenis que vivem e levam o amor de Cristo pelo Brasil. A romaria é realizada pela Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB (CEPJ) em parceria com o Santuário Nacional. As caravanas poderão se inscrever para a romaria a partir de um formulário online que será lançado especialmente para o evento em breve. Esta será a quarta edição da Romaria Nacional com o atual formato. Com o projeto Rota300, em comemoração aos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora nas águas do Rio Paraíba do Sul, foi possível repensar e retornar com a atividade, que durante muitos anos levou os jovens ao santuário mariano até a década de 1990. Para Pe. Antônio Ramos do Prado, sdb, assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude, a romaria é um importante momento de unidade para a juventude. “A cada ano temos uma temática ligada à Maria ou a um tema em destaque para a Igreja no momento. A romaria tem também uma identidade de formação de lideranças, catequese, testemunhos, missa, conferência, caminhada e um evento à noite com música”, conta. O objetivo da romaria é que todos as expressões juvenis do país se encontrem, tenham este momento de confraternização e também de se reconhecerem, pois a diversidade dos carismas na juventude é uma riqueza para a Igreja, sendo a romaria um desses momentos de unidade. “Sabemos da dificuldade de todos participarem porque o país é muito grande. Uma sugestão dos bispos dos regionais é que este formato de romaria aconteça em outros lugares do Brasil também e estamos refletindo essas possibilidades”, adianta o assessor. Conheça a identidade visual da Romaria Nacional da Juventude 2019 Além da silhueta da imagem de Nossa Senhora Aparecida, a estrela, a cruz, o coração e os pés são os elementos centrais da identidade visual da Romaria Nacional 2019. Desenvolvida pela equipe de design do Jovens Conectados, os elementos têm como referência de frases do Papa Francisco ditas na Jornada Mundial da Juventude Rio 2013, mensagem enviada aos jovens da Rota300, na mensagem aos jovens brasileiros em vídeo durante o Sínodo dos Bispos em outubro deste ano, e na exortação Evangelli Gaudium. Fonte: Site Notícias Católicas
Na primeira entrevista após ser nomeada como futura titular do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves deixou claro que continuará com as lutas que marcaram sua trajetória no Congresso. Pastora e advogada, ela destacou que está ciente dos desafios, em especial porque a Funai passará a ser sua responsabilidade. “A pasta é muito grande, muito ampla e agora a gente está trazendo para cá a Funai. Nós vamos trazer para o protagonismo políticas públicas que ainda não chegaram até às mulheres, e às mulheres que ainda não foram alcançadas pelas políticas públicas.” Destacou ainda que o primeiro “direito humano” a ser protegido é o “da vida”. “Nós vamos trabalhar nessa linha. O maior direito humano é o direito à vida […] Eu sou contra o aborto. Nós queremos um Brasil sem aborto! De que forma? Um Brasil que priorize políticas públicas de planejamento familiar, que o aborto nunca seja considerado e visto nessa nação como método anticonceptivo”, destacou. Ela não vê necessidade de mudança na lei atual. “O aborto apenas nos casos necessários e aqueles previstos em lei. Mesmo nestes, eu tenho certeza que, quando é oferecida à mulher uma outra opção, ela pensa duas vezes. Essa pasta não vai lidar com o tema aborto, essa pasta vai lidar com proteção de vidas, e não de morte. Que fique bem claro isso”, asseverou. Ela enumerou ainda que o foco não serão apenas as minorias, como tem sido nos últimos anos. “Atenderemos a mulher ribeirinha, a mulher pescadora, a mulher catadora de siri, a quebradora de coco. Essas mulheres que estão anônimas e invisíveis, elas virão para o protagonismo nessa pasta. Na questão da infância, vamos dar uma atenção especial, porque está vindo para a pasta também a Secretaria da Infância, e o objetivo é propor para a Nação um grande impacto pela infância, um pacto de verdade pela infância”, explicou. Também deixou claro que trará um novo olhar para a questão indígena: “Funai não é problema neste governo, índio não é problema. O presidente estava esperando o melhor lugar para colocar a Funai. E nós entendemos que é o Ministério dos Direitos Humanos, porque índio é gente, e índio precisa ser visto de uma forma como um todo. Índio não é só terra, índio também é gente”. Fonte: Gospel Prime
Neste dia 7 de dezembro, a Igreja celebra Santo Ambrósio, um dos quatro tradicionais Doutores da Igreja latina. Entre seus escritos estão os comentários aos Salmos e Tratados sobre os Mistérios. Bispo de Milão, foi também o mentor de Santo Agostinho, tendo contribuído para sua conversão. De família cristã, o nome do santo significa “imortal”. Ele nasceu por volta de 340 em Tréveros, onde o pai era prefeito das Gálias. Quando sua mãe ficou viúva, foi com os filhos para Roma. Ambrósio estudou direito, retórica e iniciou sua carreira jurídica e, por volta de 370, foi enviado a governar as províncias da Emília e da Ligúria, com sede em Milão. Quando o Bispo de Milão morreu, Ambrósio foi para a eleição eclesiástica, a fim de evitar um conflito. Mas, saiu de lá aclamado Bispo pela assembleia. Surpreso, sendo um catecúmeno, recusou-se por se reconhecer despreparado na abordagem da Sagrada Escritura. Entretanto, cedeu à vontade de Deus, foi batizado e consagrado e dedicou-se intensamente aos estudos das Escrituras. Foi conselheiro e pai espiritual de imperadores romanos, como Graciano, Valentiniano II e Teodósio I. Em relação a este último, ficou conhecida a dura penitência que aplicou após ele ter consentido uma invasão à cidade de Tessalônica, que resultou na morte de muitos. Santo Ambrósio compunha formosos cantos e os ensinava ao povo. Além disso, escreveu belos livros explicando a Bíblia e aconselhando métodos práticos para progredir na santidade. Deu grande valor à virgindade de Maria e aos mártires de Cristo. Em 2007, em uma catequese sobre este santo, o Papa Bento XVI declarou: “Como o apóstolo João, o Bispo Ambrósio que nunca se cansava de repetir ‘Omnia Christus est nobis!; Cristo é tudo para nós!’, permanece uma testemunha autêntica do Senhor”. Santo Ambrósio morreu em Milão, na noite de 3 para 4 de abril de 397, uma Sexta-Feira Santa. É venerado no dia 7 de dezembro, data em que, no ano 374, foi aclamado pela população Bispo de Milão. Etiquetas: Doutor da Igreja, Igreja Católica, Milão, santidade, Santo Agostinho, Santo Ambrósio, Santo do Dia, santos e santas. Fonte: ACI
Os bispos das Filipinas foram agredidos novamente pelo presidente Rodrigo Duterte, que os chamou de "inúteis" e incentivou a matá-los. "Os bispos de vocês, matem-nos. Esses bastardos não servem para nada. A única coisa que sabem fazer é criticar", afirmou Duterte durante seu discurso em 5 de dezembro em Manila. Nas Filipinas, 85% da população professa o catolicismo, entretanto, o presidente disse que a Igreja Católica era a instituição "mais hipócrita do mundo" e que o Papa "sabe" disso. Duterte também disse que 90% dos sacerdotes "são homossexuais". A transcrição do discurso de Duterte foi divulgada na última quinta-feira pelo gabinete do presidente. A Conferência dos Bispos Católicos das Filipinas recusou responder aos comentários do presidente. “Não queremos acrescentar mais lenha à fogueira. Qualquer comentário só exageraria o assunto”, indicou na quinta-feira o porta-voz da conferência episcopal, Jerome Seciliano. Por sua parte, o porta-voz do presidente, Salvador Panelo, defendeu as palavras de Duterte e explicou que não devem ser entendidas como algo literal, mas usou a "hipérbole" para conseguir um "efeito mais dramático" nos seus comentários. Há apenas duas semanas, o presidente insultou bispos e sacerdotes católicos, ao declarar aos filipinos que não deveriam ir à igreja para "fazerem papel de idiotas". Dias antes, Duterte também acusou o bispo de Caloocan, Dom Pablo Virgilio David – um dos seus principais críticos –, de roubar as contribuições que os fiéis doavam à Arquidiocese, e o Prelado disse que o presidente não sabe o que diz porque está "doente". O confronto de Duterte com a Igreja Católica começou em fevereiro de 2017, quando a Conferência dos Bispos criticou a guerra sangrenta contra as drogas e a classificou como "reino de terror", ao que o presidente respondeu com insultos. Fonte: ACI
O Papa Francisco anunciou que uma nova lei do Governo do Estado da Cidade do Vaticano vai entrar em vigor em 7 de junho de 2019. O Motu Proprio foi divulgado na quinta-feira (6), mas é datado de 25 de novembro, Solenidade de Cristo Rei. A nova normativa substitui aquela aprovada por João Paulo II no ano de 2000 e que está em vigor desde fevereiro de 2001. Uma reforma a serviço da Igreja O Santo Padre, desde o início do seu pontificado, advertiu sobre “a necessidade de uma reorganização geral” do Governo do Estado da Cidade do Vaticano para melhor responder “às exigências atuais, ao serviço da Igreja e à finalidade institucional”. A reforma legislativa, recorda o Papa, segue os princípios da racionalização, economicidade e simplificação, e os critérios da funcionalidade, transparência, coerência normativa e flexibilidade organizativa. Uma comissão foi formada para redigir a nova lei, com trabalhos que começaram em março de 2017 e seguiram periodicamente até julho deste ano. O Papa confiou as atividades ao Cardeal Giuseppe Bertello, presidente da Pontifícia Comissão para o Estado do Vaticano e também presidente do Governatorato do Estado da Cidade do Vaticano. Redução das Direções e dos Organismos Centrais De acordo com esses objetivos, a nova lei prevê a redução dos organismos atualmente em funcionamento. De 9 Direções, a normativa reduz para 7: Infraestrutura e Serviços, Telecomunicações e Sistemas Informáticos, Economia, Serviços de Segurança e Proteção Civil, Saúde e Higiene, Museus e Bens Culturais, e Vilas Pontifícias; além do Observatório Astronômico do Vaticano (também conhecido como Specola Vaticana) como organismo científico. Já os Organismos Centrais passam dos 5 atuais para 2: Departamento de Pessoal e Departamento Jurídico. Nova lei institui uma Unidade de Controle e Inspeção A transparência deve ser seguida com uma maior e consciente responsabilidade pelos dirigentes dos organismos operacionais com a instituição de uma Unidade de Controle e Inspeção no âmbito do Governatorato. Essa nova figura terá tarefas específicas para verificar o cumprimento das normativas e de avaliar a eficiência das atividades dos próprios organismos. Descentralização moderada A nova lei prevê uma descentralização moderada das funções e responsabiliza os titulares das Direções e dos Departamentos pelos resultados alcançados diante dos objetivos atribuídos, pela segurança dos locais de trabalho e pela proteção dos dados. Além disso, a normativa dá máxima atenção à capacidade dos funcionários, direcionando um interesse especial à complexidade e ao grau das funções exigidas por cada uma das estruturas e por seus responsáveis, sobretudo aos dependentes de quem se espera um serviço comprometido e unido à exigência de requalificação das competências. Fonte: Site Notícias Católicas
Neste sábado, 8 de dezembro, a Igreja celebra a Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora. Esta data, de significativa importância para a Igreja, por fazer memória do dogma que afirma a preservação de Maria do pecado original, tem particular ligação com a Igreja no Brasil, onde cerca de 30 dioceses a tomam por padroeira ou titular. A Solenidade foi instituída por São Paulo VI, no dia 2 de fevereiro de 1974, por meio da exortação apostólica “Marialis Cultus”, na qual ressalta a celebração e atenção especial dada a Maria no tempo do Advento. “No tempo do Advento a Liturgia, não apenas na altura da solenidade de 8 de dezembro, celebração, a um tempo, da Imaculada Conceição de Maria, da preparação radical (Cf. Is 11,1.10) para a vinda do Salvador e para o feliz exórdio da Igreja sem mancha e sem ruga, recorda com frequência a bem-aventurada Virgem Maria, sobretudo de 17 a 24 de dezembro; e, mais particularmente, no domingo que precede o Natal, quando faz ecoar antigas palavras proféticas acerca da Virgem Mãe e acerca do Messias e lê episódios evangélicos relativos ao iminente nascimento de Cristo e do seu Precursor”, escreveu o papa Paulo VI. Nesta solenidade, uma marca muito presente nas reflexões sobre o mistério da Imaculada Conceição é o exemplo de Maria como aquela que é “ícone da Vitória de Cristo sobre o poder das trevas e do pecado”, como ensina dom Edney Gouvêa Mattoso, bispo de Nova Friburgo (RJ), uma das dioceses que celebram a padroeira neste sábado. “A Igreja venera a Santa Mãe de Deus e nela encontra o grande modelo de virtude. No difícil itinerário desta vida terrena, Maria ‘avançou pelo caminho da fé, mantendo fielmente a união com seu Filho até à cruz (…) padecendo com seu Filho único, e associando-se com coração de mãe ao Seu sacrifício’”, afirma o bispo recordando a constituição dogmática Lumem Gentium. Para o arcebispo de Belém (PA), “olhar para a Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa, significa tomá-la como modelo e referência para nossa vida cristã. E revela-se muito atual considerar o fato de sua concepção imaculada, preservada que foi, em previsão dos méritos de Cristo”. Dom Edney ainda reforça este exemplo mariano com o ensinamento testemunhal que vem da Mãe do Filho de Deus que, “mesmo em meio às provações desta vida unidas às contradições externas e internas, a Graça é maior que o pecado e que a misericórdia de Deus é mais poderosa que o mal”. “No mundo em que, cada vez mais, as pessoas se entregam desordenadamente às paixões fazendo imperar a lei do pecado, somos chamados a contemplar a beleza da vida pura em Maria, e, olhando para dentro de nós, reconhecermo-nos necessitados da graça de Deus”, afirma o bispo de Nova Friburgo. Dom Alberto Taveira também aponta o caminho para seguir nestes tempos “em que a sujeira moral, chamemos de ‘mácula’, se transformou em verdadeiro espetáculo, de forma que o comportamento moral baseado na retidão e na verdade, acaba ridicularizado”. Para o arcebispo de Belém, cabe aos cristãos “tomar posição em favor do bem e da verdade, da superação da maldade e do pecado, para propor o caminho da Imaculada a todos”. Devoção nacional A força da devoção à Imaculada Conceição é uma expressão nacional, a exemplo de outras devoções marianas. Nossa Senhora Aparecida, por exemplo, também é da Conceição, mas Aparecida, e teve sua festa celebrada em 8 de dezembro, por um tempo. Para se ter uma ideia, são 32 Igrejas Particulares que a tomam como padroeira, titular arqui/diocesana ou da catedral, ou ainda como padroeira municipal. De Norte a Sul do país, é uma presença forte tanto no contexto eclesial, como na vida das pessoas, para além da devoção. “Conceição” está entre os 160 nomes mais populares do país. São 102.585 mulheres e 1.537 homens com esse registro no país, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Abaixo, a lista de dioceses que tem como padroeira ou titular Nossa Senhora da Imaculada Conceição. Em cada lugar, celebrações festivas que reúnem centenas ou milhares de fiéis, como em Campinas (SP), onde acontece procissão da Basílica Nossa Senhora do Carmo até a Catedral Metropolitana Nossa Senhora da Conceição com a participação do povo das paróquias, do clero, dos seminaristas e dos religiosos e religiosas. Títulos e patrocínios de 8 de dezembro Aracaju (SE): Nossa Senhora da Conceição, padroeira arquidiocesana e Titular da catedral. Campinas (SP): Nossa Senhora da Conceição, Padroeira arquidiocesana e Titular da catedral. Manaus (AM): Imaculada Conceição, padroeira municipal. Santa Maria (RS): Imaculada Conceição, Titular da catedral. Abaetetuba (PA): Nossa Senhora da Conceição, Padroeira diocesana e Titular da catedral. Bacabal (MA): Co-Titular da catedral e Padroeira municipal. Bragança Paulista (SP): Nossa Senhora da Conceição, Padroeira diocesana e Titular da catedral. Brejo (MA): Imaculada Conceição, Titular da catedral. Cachoeira do Sul (RS): Imaculada Conceição, Titular da catedral e padroeira da Cidade. Campina Grande (PB): Nossa Senhora da Conceição, Padroeira diocesana, Titular da catedral e padroeira municipal. Diamantina (MG): Imaculada Conceição, Titular da catedral. Divinópolis (MG): Nossa Senhora da Conceição, Padroeira diocesana. Dourados (MS): Nossa Senhora da Conceição, Padroeira da cidade e Titular da catedral. Formosa (GO): Imaculada Conceição, Padroeira diocesana e Titular da catedral. Franca (SP): Imaculada Conceição, Padroeira diocesana e Titular da catedral. Guajará-Mirim (RO): Nossa Senhora do Seringueiro, padroeira da diocese e municipal. Guarulhos (SP): Imaculada Conceição, Padroeira diocesana e Titular da catedral. Humaitá (AM): Nossa Senhora da Conceição, Padroeira diocesana e municipal. Jacarezinho (PR): Imaculada Conceição, Titular da catedral. Limoeiro do Norte (CE): Imaculada Conceição, Titular da catedral. Marabá (PA): Imaculada Conceição, Titular. Nazaré (PE): Nossa Senhora da Conceição, Padroeira diocesana e Titular da catedral. Nova Friburgo (RJ): Imaculada Conceição, Padroeira diocesana. Palmares (PE): Imaculada Conceição, Titular da catedral. Ponta de Pedras (PA): Imaculada Conceição, Titular da catedral. Santíssima Conceição do Araguaia (PA): Nossa Senhora da Conceição, Padroeira diocesana e Titular da catedral. Santarém (PA): Imaculada Conceição, Padroeira diocesana, Titular da catedral e Padroeira municipal. Sete Lagoas (MG): Imaculada Conceição, Padroeira diocesana. Sobral (CE): Nossa Senhora da Conceição, Padroeira diocesana. Teófilo Otoni (MG): Imaculada Conceição, Padroeira diocesana e Titular da catedral. Vacaria (RS): Nossa Senhora da Oliveira, Padroeira diocesana e municipal. Viana (MA): Nossa Senhora da Conceição, Titular da catedral. Fonte: Site Notícias Católicas
Data tem o objetivo de conscientizar população sobre deficiência física ou mental Nesta segunda-feira, 3, é comemorado internacionalmente o Dia da Pessoa com Deficiência. A data foi criada em 1992, na Assembleia Geral das Nações Unidas, e tem o objetivo de informar a população sobre os assuntos relacionados à deficiência física ou mental, conscientizando sobre a importância da inclusão das pessoas com deficiência na sociedade. De acordo com o último Censo do IBGE, há 45,6 milhões de pessoas no Brasil com alguma deficiência. São muitas as iniciativas em prol das pessoas com deficiência, neste dia. A Associação dos Deficientes Físicos de Lorena (Adefil), cidade do interior de São Paulo, promove, na praça Arnolfo de Azevedo, nesta segunda-feira, 3, um dia inteiro de atividades e apresentações, juntamente com a Apae e o Coral de Libras. Andreza Guimarães é uma das coordenadoras da Adefil e explica que o evento, que tem o nome Virada Inclusiva, levará a população a refletir sobre o tema. “Teremos além das atividades, algumas vivências, em que as pessoas poderão vivenciar o que os deficientes vivem, como fazer a experiência de andar de cadeira de rodas, usar muletas, e também fazer atividades sensoriais”. A entidade atua há 30 anos na cidade de Lorena e realiza, além de reabilitação física e psicossocial dos assistidos, o resgate da cidadania, através da socialização. Ao todo, são mais de 250 assistidos. “Temos na Adefil atendimento de fisioterapia, psicologia, assistência social, ortopedia, fonoaudiologia e arteterapia. Além disso, contamos com transporte adaptado para pegar os pacientes em casa, ou atendemos a domicílio quando necessário. Fazemos também ponte com empresas que, pela lei de cotas, contratam os assistidos, através de nosso banco de currículos”. A coordenadora acredita na importância de se comemorar a data, na busca por uma maior conscientização da sociedade. “O Brasil têm avançado, especialmente em termos de políticas públicas em relação às pessoas com deficiência, mas ainda há muito a fazer. Há ainda a necessidade de mais informação e conscientização, pois muitos ignoram o segmento da pessoa com deficiência”. Experiência Renata Ribeiro, psicóloga e cadeirante./ Foto: Arquivo Pessoal A psicóloga Renata Ribeiro ficou paraplégica em 2000, após um acidente grave de carro. “Tive uma lesão gravíssima na coluna que me deixou com os membros inferiores paralisados e eu passei a fazer uso da cadeira de rodas para me locomover. No início tive sentimentos ambíguos, pois me deparei com um mundo preconceituoso, olhares de exclusão, discriminação e afastamento de pessoas “queridas”. Ao mesmo tempo, pude tocar no lado bom de muitas outras pessoas, gestos de generosidade e acolhimento”. Para Renata, os direitos das pessoas com deficiência ainda não são atendidos como deveriam. “Na teoria é uma benção, mas na prática muitas coisas não funcionam. O direito básico é o de ir e vir e até isso muitas vezes não nos é dado. Há um desrespeito, e muitas vezes nos sentimos desprotegidos”. Ao ser perguntada sobre o que ainda falta, Renata diz que sonha com uma sociedade mais atenta às pessoas nesta condição. “É preciso ter mais conscientização, mais respeito e olhar para o ser humano com um olhar de acolhimento e não de preconceito. Se colocar no lugar, oferecer ajuda, lutar pelos direitos deste grupo, ter mais acessibilidade, dar oportunidade de trabalho, criar locais de lazer, trabalho adaptado onde as pessoas com necessidades especiais não se sintam expostas e agredidas internamente e psicologicamente. É um mundo diferente. É tudo muito difícil física, emocional e financeiramente. Ser incluído não é nada fácil e é preciso fé, garra e perseverança”. Fonte: Canção Nova
Um documento oficial de 2005 proíbe o acesso ao sacerdócio de qualquer homem com tendências homossexuais, apesar de muitos bispos optarem por vista grossa O papa Francisco está “preocupado” com o número de sacerdotes e religiosos homossexuais, estimando que a Igreja Católica poderia se ver invadida pela “moda” da homossexualidade, segundo revelou um livro de entrevistas publicado na Itália neste sábado (1). “A homossexualidade é um assunto muito sério que deve ser discernido adequadamente pelos candidatos” ao sacerdócio e à vida religiosa, declarou o pontífice argentino no livro intitulado “A força de uma vocação”, que será publicado em 10 idiomas. “Em nossas sociedades, inclusive, parece que a homossexualidade está na moda e esta mentalidade, de certo modo, também afeta a vida da Igreja”, acrescentou. “É algo que me preocupa”. Após a sua escolha em 2013, o papa Francisco adotou um tom mais acolhedor com os homossexuais, lançando sua agora famosa frase “Quem sou eu para julgar?” e recebendo casais homossexuais. Mas a sua postura sobre a homossexualidade continua sendo a da Igreja. Um documento oficial de 2005 proíbe o acesso ao sacerdócio de qualquer homem com tendências homossexuais, apesar de muitos bispos optarem por fazer vista grossa, especialmente devido à drástica queda das vocações, em grande parte no mundo ocidental. Fonte: Exame
Na homilia de sua missa diária celebrada nesta segunda-feira, 03, na capela da Casa Santa Marta, o Papa Francisco pediu que o advento seja um tempo de purificação para que o Natal não se torne uma ocasião mundana, na qual o cristão esqueça que a data se trata de celebrar o nascimento de Cristo e a chegada da salvação. Segundo informa hoje o site vaticanews.it, o Papa lembrou na sua homilia que o “tempo do advento tem "três dimensões": passado, futuro e presente. (...) O ponto de partida para as reflexões do Pontífice é o Evangelho de hoje (Mt 8,5-11): o encontro em Cafarnaum entre Jesus e um centurião, que pede ajuda ao seu servo, paralisado na cama. Ainda hoje, ele especifica, pode acontecer "habituar-se à fé", esquecendo sua "vivacidade". "Quando estamos rotinizados perdemos a força da fé, aquela novidade de fé sempre renovada", afirmou o Santo Padre. O Pontífice também enfatizou que a primeira dimensão do Advento é o passado, "a purificação da memória": "lembre-se bem que a árvore de Natal não nasceu", ela certamente é um "belo sinal", mas lembre-se que foi "Jesus Cristo que nasceu". Ainda segundo vaticanews, o Papa refletiu: “O Senhor nasceu, nasceu o Redentor que veio para nos salvar. Sim, a festa ... sempre temos o perigo, sempre teremos em nós a tentação de mundanizar o Natal, misturá-lo ... quando a festa deixar de ser contemplação - uma linda festa familiar com Jesus no meio - e começar a ser uma festa mundana: fazer despesas, presentes, e isto e o outro ... e o Senhor permanece lá, esquecido. Mesmo em nossas vidas: sim, ele nasceu em Belém, mas ... E o Advento é purificar a memória daquele tempo passado, dessa dimensão”. O Papa Francisco, recordou também que para os cristãos Advento tem uma dupla dimensão: serve para "purificar a esperança" e para preparar "para o encontro definitivo com o Senhor". O Santo Padre lembrou novamente que quando o Senhor voltar, perguntará sobre nossas vidas, mas que este momento não será somente um juízo, mas um encontro pessoal. Para isso, o Papa Francisco pediu aos presentes purificar a esperança e cultivar a dimensão cotidiana da fé, apesar das preocupações e das muitas preocupações. Por último o Pontífice ressaltou a terceira e mais cotidiana das dimensões do advento que é a vigilância, a espera orante pela vinda do Senhor recordada na liturgia, a vigilância para encontra-lo no momento da morte e para estar preparados para sua vinda definitiva no final da história. “Vigilância e oração são duas palavras para o advento; porque o Senhor entrou na história em Belém; Ele virá, no fim do mundo e também no final da vida de cada um. Mas vem todo dia, todo momento, em nosso coração, com a inspiração do Espírito Santo”, concluiu. Fonte: ACI