Educadora 950

Educadora 950

 A Rádio da Família Cristã

O Papa Francisco teve um encontro privado na tarde desta segunda-feira, 4 de fevereiro, com os membros do Conselho Muçulmano de Anciãos, reunido na Grande Mesquita do Xeque Zayed, Abu Dhabi, no contexto de sua viagem apostólica aos Emirados Árabes Unidos. Esta mesquita, construída entre os anos de 1996 e 2007, é uma das maiores (pode acolher 40 mil fiéis) e emblemáticas do mundo islâmico e nela está o túmulo do Xeque Zayed, fundador deste país da península arábica. O Pontífice esteve acompanhado durante todo momento pelo Grande Imã de Al-Azhar, Ahmed Mohamed Ahmed al-Tayeb, uma das figuras mais proeminentes do islã, e dos ministros de Assuntos Exteriores, de Tolerância e de Cultura. Após visitar o Mausoléu do Xeque Zayed, o Santo Padre se dirigiu com o Grande Imã ao claustro principal da mesquita, onde participou do encontro privado com os membros do Conselho Muçulmano de Anciãos. Finalizando o encontro, o Papa Francisco se dirigiu ao Founder’s Memorial, onde acontecerá um encontro inter-religioso. Fonte: ACI
Trabalhos serão retomados assim que chuva der trégua; 205 pessoas continuam desaparecidas A chuva que atinge, desde a madrugada desta segunda-feira, 4, a cidade de Brumadinho (MG), impediu o início do trabalho de busca por vítimas do rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, ocorrida em 25 de janeiro. De acordo com o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, o trabalho, que normalmente começa às 4h, não pôde ser iniciado. As buscas serão retomadas assim que a chuva der uma trégua, segundo o Corpo de Bombeiros. De acordo com a mineradora Vale, que administra a barragem, 205 pessoas continuam desaparecidas. A mineradora Vale divulgou na noite deste domingo, 3, a lista dos nomes dos 114 mortos identificados pelo Instituto Médico Legal. Até o momento, foram encontrados 121 corpos. A Vale também divulgou uma relação dos 205 desaparecidos no incidente. Fonte: Canção Nova
Segunda, 04 Fevereiro 2019 13:38

Papa: onde há vida, há esperança

Ao receber os membros do Movimento Italiano para a Vida, no sábado (2) , o Papa Francisco advogou pela defesa da vida dos que estão para nascer. “Tomar cuidado da vida exige que se faça isso durante toda a vida e até o fim. Também, exige-se que se coloque toda a atenção às condições de vida. A saúde, a educação, as oportunidades de trabalho, e assim por diante; por fim, tudo o que permite a uma pessoa viver de modo digno ” Continuando a falar sobre o Dia da Vida deste ano, o Papa recorda o tema que é “uma passagem do profeta Isaías, que nos comove sempre, recordando-nos a maravilhosa obra de Deus: ‘Eis que estou fazendo coisas novas’, diz o Senhor deixando aflorar seu coração sempre jovem e o seu entusiasmo em gerar todas as vezes como no princípio, algo que antes não havia e trazendo uma beleza inesperada”. “Apagar voluntariamente a vida no seu desabrochar é, em todos os casos, uma traição à nossa vocação, além do pacto que liga reciprocamente as gerações, pacto que permite olhar adiante com esperança. Onde há vida, há esperança! ” “E jamais devemos nos resignar – diz o Papa, – devemos trabalhar conhecendo os nossos limites mas também o poder de Deus”. Ao falar do Movimento recorda “um sinal particular de consolo é dado pela presença de muitos jovens. Caros jovens, vocês são a riqueza do Movimento para a Vida, para a Igreja e para a sociedade. É muito belo ver que vocês dedicam seu tempo e energia para a proteção d vida e o apoio aos mais indefesos”, também evidenciou a importância da laicidade do Movimento que é “fundada na verdade do bem da vida, que é valor humano e civil e como tal, deve ser reconhecido por todas as pessoas de boa vontade”. Por fim recordando mais uma vez a celebração do Dia da Vida o Papa faz um apelo “a todos os políticos, para que, independente das convicções de fé de cada um, coloquem como prioridade do bem comum a defesa da vida dos que estão para nascer e fazer parte da sociedade, à qual devem trazer novidade, futuro e esperança.” Fonte: Site Notícias Católicas
O Conselho dos Leigos da Igreja de Nossa Senhora de Guadalupe, em Maracaibo (Venezuela), informou que no domingo, 27 de janeiro, grupos armados ligados ao governo de Nicolás Maduro invadiram o templo durante a celebração de uma Missa com crianças que se preparam para receber a Primeira Comunhão e profanaram o Santíssimo. O jornalista Lenin Danieri divulgou em seu Twitter que tudo começou no momento em que uma reunião aberta estava sendo realizada na quadra atrás da igreja, "quando grupos de funcionários da prefeitura (assim foram identificados) ameaçaram e atiraram contra os presentes. Eles entraram no templo achando que estavam seguros". O conselho de leigos da igreja Nossa Senhora de Guadalupe denunciou que os grupos armados ligados ao governo "entraram com paus, armas de guerra e até mesmo com granada, algo nunca visto nos 60 anos de existência da nossa paróquia". Em um vídeo que circula nas redes sociais, um sacerdote assinala que os agressores destruíram "o ornamento da igreja, profanaram o Santíssimo Sacramento e atiraram dentro do templo para dispersar os fiéis que participavam da Eucaristia". Além disso, "o pároco, Pe. Andri Sánchez, foi agredido e tinham a intenção de assassiná-lo. Já reconhecemos e sabemos quem o fez: líderes ou supostos líderes do PSUV ", Partido Socialista Unido da Venezuela, liderado por Maduro. O conselho dos leigos da paróquia denunciou que a "profanação da Casa do Senhor colocou em perigo a vida de cerca de 700 pessoas que participam todos os domingos na Missa das Crianças". Diante do ocorrido, os leigos da paróquia decidiram "manter o templo fechado até que algum organismo do governo nacional garanta a vida e a tranquilidade dos nossos paroquianos", assim como começar uma jornada de oração para pedir a proteção de Deus. Em 23 de janeiro, durante protestos contra o governo de Maduro, tropas do exército cercaram a Catedral de Maturín, onde estavam refugiadas cerca de 700 pessoas, incluindo manifestantes da oposição, padres e seminaristas. As pessoas só puderam sair do templo depois de várias horas. Fonte: ACI
O bispo referencial do Vicariato Episcopal para a Ação Missionário no Vale do Paraopeba (VEAM), Dom Vicente Ferreira, e o vigário episcopal do mesmo órgão, padre Renê Lopes, estiveram junto com a comunidade do Feijão, local onde se situava a barragem que se rompeu em Brumadinho. Bispo abençoa brigadista / Foto: Arquidiocese de Belo Horizonte Esta foi uma oportunidade também para acompanhar o trabalho que está sendo feito na Igreja Nossa Senhora das Dores: referência primeira no apoio às equipes de resgate. O campo, localizado na frente da Igreja, está sendo utilizado como pista de decolagem para os helicópteros dos bombeiros. O espaço da comunidade Nossa Senhora das Dores tem ajudado nas buscas, pois localiza-se em um ponto estratégico, facilitando o trabalho das equipes de resgate. Dom Vicente abençoou os brigadistas e a equipe que trabalha na busca das vítimas, auxiliou na distribuição de água e alimentos, mas principalmente, confortou os familiares angustiados pela espera de notícias sobre seus parentes e amigos. O embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley, fez questão de ouvir os detalhes sobre o importante trabalho que a Igreja está fazendo em Brumadinho. Nesta terça-feira, 29, o arcebispo de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, estará mais uma vez em Brumadinho, acolhendo e confortando as famílias vítimas da tragédia. A Igreja Matriz da Cidade celebra Missas diárias, com orações dedicadas aos irmãos de Brumadinho. Fonte: Canção Nova
Em meio ao prazer pela evangelização, vivemos em uma sociedade onde “as pessoas criticam nossa fé”, ressalta Vera Lúcia, uma vendedora de produtos religiosos de 56 anos. “Evangelizo dentro de casa, tenho dois filhos adolescentes e vivemos em um mundo onde é difícil levar a juventude ao encontro da fé”, enfatiza a dona de casa Conceição Lima, 47 anos. Mas embora elas encontrem desafios em suas formas de evangelizar, não desistem de acreditar em uma força divina e professar a fé católica que possuem. Não é difícil perceber que vivemos em tempos de perseverança necessária quanto à demonstração da fé que possuímos. Conceição Lima é missionária do dízimo na Paróquia Santa Terezinha do Menino Jesus em Jaibaras; local onde mora com o marido e os dois filhos adolescentes. Visita às famílias da comunidade e leva a Palavra de Deus, mas sua maior dedicação é na família: “Manifesto a minha fé evangelizando dentro de minha casa, indo para as missas aos domingos”, revela ela que acha um desafio introduzir os jovens em uma profunda experiência com Deus. A falta de fé, ou em maior escala a perca dela é um fenômeno cada vez mais crescente entre os cristãos. “Às vezes aparecem pessoas desanimadas dizendo que Deus não existe. Quando isso acontece, tento mostrar a elas que Deus é um Pai todo- poderoso, que pode fazer milagres. Conto minha história. Anos atrás os médicos desacreditaram em minha vida e hoje estou aqui falando com você”, ressalta Vera Lúcia que possuía uma doença no coração e foi operada em 2010 sem esperança de sobrevivência da parte de profissionais da saúde. Mensagem de fé Ajoelhadas diante do Santíssimo encontramos duas mulheres diferentes ligadas por igual sentimento de fé. Uma devotada na conversão de sua família, outra agradecida pela vida e possibilidade de evangelizar por meio de seu testemunho. “É triste quando encontramos pessoas que não acreditam em Deus, que não acreditam que somos capazes de alcançar milagres; mas se a gente busca é certeza conseguir”, enfatiza Conceição que procura mostrar aos filhos como ser uma autêntica cristã buscando os caminhos do bem. “Muitas pessoas chegam e dizem que por meio do meu silêncio quando estava sofrendo, pela forma tranquila em que agi acabaram se aproximando de Deus”, revela Vera Lúcia que mora em Jordão e é integrante da Comunidade Rainha da Paz. “Devemos mostrar para o mundo que somos felizes em ter Deus. Devemos levar a alegria de Deus nos momentos mais difíceis; mostrar que Ele está conosco”, conclui ela. Fonte: Correio da Semana
Pe. Fábio Soares Duarte tomou posse da Paróquia Nossa Senhora da Conceição em Meruoca como novo pároco desta comunidade paroquial na noite da última sexta-feira, 11, com a presença do bispo diocesano Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos, padres, seminaristas, paroquianos, familiares e amigos. Momento foi de agradecimento pela missão de sacerdote e reflexão sobre os encantos com imagens da Virgem Maria que o levaram a tomar decisões em sua vida. Durante a homilia, Dom Vasconcelos lembrou a importância de reconhecermos a humanidade e divindade de Jesus Cristo: “Contemplar a humanidade de Jesus mostra-nos que ser humano é ser em primeiro lugar misericordioso. Ser humano significa ser uma pessoa que tem compaixão, misericórdia com o pobre, o excluído, o marginalizado. Jesus se depara com um leproso que era abominado pelo povo da época. Quem tocasse no leproso era também considerado impuro. Aquele homem aproximou-se de Jesus porque reconheceu sua humanidade e divindade, e Jesus o curou”, enfatiza o bispo que aponta ser a lepra um simbolismo do pecado. Pe. Fábio ao revelar os motivos que o levaram a aceitar o convite feito pelo bispo diocesano para esta nova missão, confessa que além dos deveres de sacerdote ao aceitar o chamado, enxergou em uma imagem de Nossa Senhora da Conceição que ganhou de presente, a resposta necessária a ser dada. “Ganhei duas imagens, uma era Santa Luzia e a outra era Nossa Senhora da Conceição. Quando era criança, em um dos primeiros contatos com a igreja vi uma imagem de Nossa Senhora que me encantou. Meses depois meus pais trouxeram de Canindé a meu pedido. Anos depois no dia da minha ordenação senti a mesma sensação que tive quando criança. Diante desses fatos não poderia nunca dizer “não”, pois sei que Deus sempre nos surpreende”, enfatiza o novo pároco. Boas vindas e agradecimentos Os novos paroquianos de Pe. Fábio, o acolheram com alegria e garantiram apoio em qualquer situação necessária para evangelização em sua nova comunidade paroquial. Mostraram-se satisfeitos ao elogiar as boas relações de amizade que o sacerdote cativa. Os paroquianos da Paróquia Sagrado Coração de Jesus agradeceram o tempo em que o padre pôde contribuir com ensinamentos de fé, sobretudo referentes à persistência na oração. Fonte: Correio da Semana
No fim do mês de janeiro, os Sertões de Sobral, assim com as regiões do Vale do Jaguaribe, Região Metropolitana, Litoral Leste e Oeste e Maciço de Baturité começam a receber as sementes do programa Hora de Plantar. Nesta edição, o programa chega ao roçado de 154.423 agricultores familiares em todos os territórios do Estado do Ceará com um investimento do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Fecop) de R$ 17,2 milhões. O programa tem o objetivo de fortalecer a atividade no campo, utilizando sementes e mudas de elevado potencial genético que propiciem o aumento da produtividade das culturas, e melhorem o nível da renda dos beneficiários. Além de pagarem um valor menor pelas sementes, que obedecem um critério de qualidade ainda mais rigoroso do que o praticado pelo governo federal, ainda é concedido o perdão da dívida caso seja constatada a perda de safra. Fase atual Nos primeiros quinze dias de janeiro, o território dos Sertões de Crateús inicia a distribuição das sementes do Programa Hora de Plantar. Os seguintes municípios são atendidos pelo armazém regional: Ararendá, Cariré, Carnaubal, Catunda, Crateús, Ipu, Ipueiras, Monsenhor Tabosa, Nova Russas, Novo Oriente, Pacujá, Poranga, Reriutaba, Santa Quitéria e São Benedito. A Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA) está finalizando a distribuição das sementes do Programa na região Centro-Sul. Após concluir a distribuição das sementes dos territórios do Cariri e Sertões de Canindé, agora é a vez dos agricultores dos municípios de Acopiara, Aiuaba, Cariús, Cedro, Icó, Iguatu, Jucás, Orós e Quixelô receberem as sementes e passarem a aguardar até que o nível de umidade do solo seja o ideal para iniciarem o plantio. (Com informações da Agência Eco Nordeste). Fonte: Correio da Semana
A programação da Jornada Mundial da Juventude 2019 segue a todo vapor no Panamá. Nesta sexta-feira, 25, os jovens participam do ciclo de catequeses e se preparam para um novo encontro com o Papa Francisco na tradicional via-sacra, um momento de reflexão e oração presidido pelo Santo Padre. Antes desse encontro, Francisco segue com os compromissos da agenda de sua viagem ao Panamá. Ele preside uma liturgia penitencial em um centro de menores infratores. Confira os detalhes, direto do Panamá, com Ronaldo da Silva no vídeo.
Neste dia 25 de janeiro, a Igreja Católica celebra o dia em que São Paulo – então chamado Saulo – alcançou a conversão, a caminho de Damasco, para onde se dirigia para perseguir os cristãos. Como se recorda, quando ia para Damasco, Saulo foi derrubado do cavalo pelo próprio Jesus por meio de uma luz do céu que brilhou sobre ele e seus companheiros, cegando-o por três dias. Durante esse tempo, Saulo permaneceu na casa de um judeu chamado Judas, sem comer nem beber. O cristão Ananias, a pedido de Cristo, foi ao encontro de Saulo, que recuperou a vista e se converteu, recebendo o batismo e passando a pregar nas sinagogas sobre o Filho de Deus, com grande espanto de seus ouvintes. Assim, o antigo perseguidor se converteu em apóstolo e foi eleito por Deus como um de seus principais instrumentos para a conversão do mundo. São Paulo nasceu no Tarso, Cilícia (atual Turquia), e seu pai era cidadão romano. Cresceu no seio de uma família em que a piedade era hereditária e muito ligada às tradições e observâncias dos fariseus. Colocaram-lhe o nome Saulo e, como também era cidadão romano, levava o nome latino de Pablo (Paulo). Para os judeus daquele tempo era bastante comum ter dois nomes, um hebreu e outro latino ou grego. Paulo será, pois, o nome que utilizará o apóstolo para evangelizar os gentios. O período que vai do ano 45 ao 57 foi o mais ativo e frutífero de sua vida. Compreende três grandes expedições apostólicas das quais Antioquia foi sempre o ponto de partida e que, invariavelmente, terminaram por uma visita à Jerusalém. Os restos do santo descansam na Basílica de São Paulo Extramuros, em Roma. Este templo é o maior, depois da Basílica de São Pedro. Fonte: ACI