Educadora 950

Educadora 950

 A Rádio da Família Cristã

Nos últimos dias, tanto o candidato Jair Bolsonaro (PSL) como o candidato Fernando Haddad (PT) expressaram que se forem eleitos defenderão a vida e respeitarão os valores católicos. Entretanto, esta promessa é fiável? Para responder à pergunta ACI Digital entrevistou o sacerdote da Arquidiocese do Rio de Janeiro, Padre Augusto Bezerra, conhecido pelo seu apostolado nas redes sociais e sua defesa da vida contra aborto. Vale recordar que Jair Bolsonaro recentemente realizou por escrito um compromisso com a plataforma Voto Católico, afirmando que se eleito não aprovaria nenhuma medida que atentasse contra a vida humana nascente. Já o candidato Haddad visitou a sede da CNBB onde trataram o tema da não legalização do aborto e afirmou, na sua visita à paróquia Santos Mártires em Campo Limpo (SP), que se comprometia “a seguir os princípios colocados pela Igreja Católica para os candidatos”. “Preservar a vida, combater a violência, combater a corrupção, preservar o meio ambiente e garantir a democracia. Vamos fazer um pacto por esses cinco princípios que devem guiar o novo governo”, comprometeu-se Fernando Haddad na ocasião. Entretanto, alguns de nossos leitores escreveram à nossa redação, indagando se estes compromissos eram apenas “promessas de campanha” ou se realmente o eleitor católico pode confiar na palavra dos candidatos. Para elucidar a dúvida dos leitores que, seguramente, também é a de muitos brasileiros que defendem a vida, ACI Digital buscou o sacerdote Augusto Bezerra, que atualmente está estudando em Roma e que pertence à Arquidiocese do Rio de Janeiro, conhecido também pela sua trajetória na defesa da vida e da família através de seu blog, programas de rádio e redes sociais. Vale recordar que nem o candidato Bolsonaro (PSL) nem Fernando Haddad são novos na política (PT). Haddad, além de prefeito de São Paulo (SP), foi ministro no governo do Partido dos Trabalhadores, e Jair Bolsonaro é deputado federal desde 1991. Em sua entrevista, Padre Augusto afirmou: “No Brasil já temos o costume de não acreditar muito no que um político promete e diz durante o período de campanha eleitoral, contudo, se verificamos a trajetória de um candidato, descobrimos quais valores que ele defende”. “Assim, só podemos saber se o que este ou aquele candidato afirma durante a campanha é sincero ou mero oportunismo para vencer a eleição, quando olhamos para sua trajetória política”, completou. “O candidato Haddad faz parte de uma agenda petista, que defende aberta e publicamente o aborto. Portanto, cabe a pergunta: será que ele vai garantir uma iniciativa que não está na agenda do seu partido?”, indaga o sacerdote. “Já quando olhamos para o candidato Jair Bolsonaro (que se define como católico, mas afirmou recentemente que não é um praticante), o que vemos é uma trajetória de defesa da vida que corresponde ao seu mandato na câmara dos deputados. Por isso, haveria mais elementos para confiar que ele, se eleito, efetivamente vetaria qualquer insinuação pela despenalização do aborto seja por parte da câmara ou do senado, em uma investida contra a vida humana nascente”. Assim, continua Pe. Bezerra, “se formos comparando os valores e a trajetória de cada um, nós podemos chegar a um juízo sobre a sinceridade ou não destes compromissos”. “Contudo, não podemos dizer que é impossível que alguém mude de ideia e se converta, mas é preciso estar atentos aos valores que cada candidato possui e as agendas dos seus partidos para não cair em um marketing de campanha e acreditar em promessas feitas somente para angariar votos”, destacou. “Espero que cada um tenha a paciência e o bom discernimento para saber em quem vai votar. Eu como padre não posso indicar em quem um católico deve votar, mas uma coisa posso dizer: católico não vota em abortista! E isso basta”, concluiu. Fonte: ACI
Quarta, 17 Outubro 2018 15:42

Pe. João Batista celebra 81 anos de vida

Sacerdote é autor de algumas ações de promoção humana na Diocese de Sobral como o Projeto Cabra Nossa de Cada Dia, o Musicalizar e o João de Barro Desempenhando seu ministério sacerdotal com o mesmo desejo de amar e servir a Deus de seus primeiros anos na vocação, Pe. João Batista Frota tem como lema a frase de São Paulo: “Enquanto temos tempo, façamos o bem”. O sacerdote celebrou 81 anos de vida na última quarta-feira, 12. A santa missa foi presidida pelo bispo diocesano Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos e concelebrada pelo pároco da Paróquia de São José do Sumaré, Pe. Lucas do Nascimento Moreira. Após a celebração, Pe. João confraternizou-se com amigos no Centro de Promoção Humana Padre Ibiapina (Ceprohpi). Pe. João Batista Frota é autor de diversas ações humanas e sociais de promoção humana, como o Projeto Cabra Nossa de Cada Dia, a Campanha Natal sem Fome, a Casa da Memória e da Cidadania (com cursos profissionalizantes para jovens e adultos), Projeto João de Barro, Projeto Musicalizar, Construtores da Paz e o apoio à implantação da Toca de Assis em Sobral. O sacerdote agradeceu a Deus pela vida e pediu perdão pelo que ainda não conseguiu fazer pelos pobres por amor a Deus. Em sua homilia, o bispo diocesano Dom Vasconcelos lembrou o Evangelho que chama de felizes e bem-aventurados os que têm fome, os que choram e os que são ofendidos por causa do Reino dos Céus. “Os que se alegram lembrem que a alegria passa, os que fazem compras vivam como se nada possuíssem, quem usa deste mundo como se não usasse, pois neste mundo tudo passa”, ressalta. Na passagem de Lucas, Jesus está próximo ao povo e vê quem são os bem-aventurados, os pobres, os famintos, os sedentos, os que são perseguidos. “Santo Ambrósio dizia que os pobres são ricos porque são generosos e sabem partilhar, são misericordiosos. Já os ricos são pobres porque são mesquinhos, não se contentam e quanto mais têm, mais querem ter”. Reino de Deus Dom Vasconcelos também lembrou a parábola de um homem que encontrou um tesouro em um campo, vendeu tudo e comprou aquele tesouro. “Pe. João descobriu esse tesouro e já vive assim. Ele poderia ter construído uma família, mas descobriu um tesouro maior para se consagrar ao Reino de Deus”, garante. A santidade também foi outro tema da fala de Dom Vasconcelos. “Às vezes pensamos que os santos são as pessoas extraordinárias e muitas vezes os santos estão entre nós e não os reconhecemos. São mães e pais, jovens de calças jeans. Feliz, bem-aventurado é quem é capaz de reconhecer e ver o mundo com os olhos de Deus. Este é o segredo da santidade. Quando olhamos com os olhos de Deus, vemos que Deus não olha a aparência, mas a essência. Precisamos ser capazes de reconhecer a bondade que existe no outro. Pe. João tem essa capacidade de olhar e ver a bondade naqueles que todos consideram imprestáveis. Portanto, hoje se cumpriu esta passagem que acabastes de ouvir” Fonte: Correio da Semana
Concentração será às 16h na Paróquia de Fátima, no bairro Sinhá Sabóia, onde ocorrerá com o Ofício da Imaculada Conceição e acolhida das paróquias e comunidades. Com o apelo da Paz, a Diocese de Sobral celebrará a padroeira do Brasil, Nossa Senhora da Conceição Aparecida, e pedirá por todo o País no dia 12 de outubro na III Caminhada com Maria. O tema deste ano é “Maria, mãe da Vida e da Paz”. A programação terá início às 16h na Paróquia de Fátima, no bairro Sinhá Sabóia, com o Ofício da Imaculada Conceição e acolhida das paróquias e comunidades. Os detalhes acerca do evento foram apresentados em coletiva à imprensa na quarta-feira, 12, com a presença do bispo diocesano Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos. Às 17h, ainda na Igreja de Fátima, haverá a santa missa presidida pelo bispo diocesano Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos. Participarão as paróquias e comunidades de toda a Diocese. Na caminhada, haverá uma participação especial dos coroinhas e dos ministros da sagrada eucaristia. A programação seguirá com caminhada luminosa com velas desde a Paróquia de Fátima até o Arco de Nossa Senhora onde ocorrerá a primeira parada. Haverá uma homenagem às crianças pela passagem do seu dia com a organização da catequese, da Infância Missionária e de outras pastorais e movimentos ligados às crianças. A caminhada seguirá para a Catedral de Nossa Senhora da Conceição (Sé) onde os fiéis entoarão a Consagração a Nossa Senhora e haverá a Bênção do Santíssimo Sacramento. “Nossa nação brasileira está passando momentos nebulosos, momentos decisivos, de escolhermos nossos representantes, aqueles que irão governar o nosso País. Nós queremos pedir à mãe de Deus, Nossa Senhora Aparecida, rainha e padroeira do Brasil nesse dia 12 de outubro que ela interceda pelo povo brasileiro. Particularmente, queremos fazer dessa uma caminhada pela paz. É o maior anseio da nação brasileira, a paz. Neste dia 12 de outubro, nós queremos caminhar com Maria. Maria, mãe dos caminhantes, ensina-nos a caminhar. Queremos Caminhar com Maria nos passos de Jesus”, ressalta Dom Vasconcelos durante coletiva de imprensa. Jesus é o filho eterno do Pai, mas também é o filho de Maria e, como a Igreja é o corpo místico de Cristo, Maria é igualmente mãe de Cristo e da Igreja. A paz começa em casa, na família, através do diálogo, segundo Dom Vasconcelos. “A paz não se consegue com policiamento ostensivo nas ruas, com repressão É necessário haver segurança, nós precisamos de segurança, mas a segurança maior é quando ela brota do coração do homem convertido. Essa é a nossa missão. Queremos promover na Diocese de Sobral esta terceira edição da Caminhada com Maria como um marco de unidade, de oração e de fraternidade entre todos os filhos de Deus e filhos de Maria”, explica. Dia 12 de outubro também é dia das crianças. “Nós também um dia fomos crianças e muitas são as crianças que nos rodeiam. Também vamos pedir as bênçãos para nossas crianças, presente e futuro da nação brasileira. Quando olhamos para as crianças, pensamos na frase bíblica profética dita a João Batista: o que será desta criança? A grande pergunta que muitos pais e mães de famílias fazem a respeito de seus filhos: o que será dessa criança? Qual o futuro dessas crianças? Elas terão um futuro promissor se aprenderem desde cedo a amar, a perdoar, a respeitar, a conviver com as diferenças, a saber viver uma vida profundamente cristã”, garante. Fonte: Correio da Semana
Terça, 16 Outubro 2018 13:48

México: mais um sacerdote assassinado

Três dias depois do seu desaparecimento, foi encontrado na tarde de sábado, 13 de outubro, o corpo sem vida do padre Ícmar Arturo Orta, no distrito Ley del Servicio Civil em Tijuana. É o sétimo sacerdote morto no México desde o início do ano. A notícia de que o corpo do sacerdote tinha sido encontrado foi dada através de um comunicado do arcebispo de Tijuana, Dom Francisco Moreno Barron: “É com profunda dor que comunico aos sacerdotes e aos diáconos do Presbitério de Tijuana, a morte do nosso querido padre Ícmar Arturo Orta, para que o confiemos à infinita misericórdia de Deus”. No momento, estão sendo feitas investigações, para descobrir as causas da sua morte. Pelas redes sociais, sabia-se que padre Orta tinha desaparecido desde 11 de outubro, depois de ter celebrado a Missa no bairro Colonia Obrera. Segundo informações da Agência Fides, um primeiro relatório da polícia comunicou que o sacerdote foi encontrado com as mãos e os pés amarrados e com sinais de violência em todo o corpo. Mensagem do bispo aos paroquianos Na tarde de domingo (14/10), o arcebispo escreveu aos fiéis da paróquia de San Luis Rey de Francia para comunicar a morte violenta de seu pároco: “Ao Conselho paroquial pastoral, aos catequistas, aos grupos e movimentos, aos leigos, aos que participam da vida da igreja paroquial: crianças, adolescentes, jovens e adultos de modo especial aos idosos e doentes. Queridos irmãos, com profunda dor, comunico a vocês que Deus chamou à sua presença o nosso querido pároco Ícmar Arturo Orta”. Sétimo sacerdote assassinado no México O pároco é o sétimo sacerdote assassinado no México desde o início do ano. O número de padres mortos em todo o mundo em 2018 é de 29: 13 nas Américas, 12 na África, 3 da Ásia e 1 na Europa. Fonte: Vatican News
Rio de Janeiro – A centenária capela de São Pedro da Serra, em Nova Friburgo, cidade da Região Serrana distante 140 quilômetros da capital do Rio de Janeiro, amanheceu com a fachada pichada com suásticas nazistas neste domingo, 14. O ataque ocorreu na madrugada, e não há informações sobre os autores da pichação, segundo informou a Polícia Civil. Localizado no centro de São Pedro da Serra, distrito de Friburgo com apenas quatro mil habitantes, o templo tem 150 anos. É o mais antigo do município, destino turístico de quem procura tranquilidade e temperaturas mais frias. Construída entre 1850 e 1865, em estilo suíço, e recentemente restaurada, a capela tem um sino em bronze doado pelo imperador d. Pedro II. Com o brasão da família imperial, o sino é uma atração turística local. O crime de apologia ao nazismo está previsto na Lei Federal 9459, que estabelece pena de dois a cinco anos e multa para quem “fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos, emblemas, ornamentos, distintivos ou propaganda que utilizem a cruz suástica ou gamada, para fins de divulgação do nazismo”. Casos recentes No começo da semana passada, uma jovem de Porto Alegre, que pediu anonimato, denunciou que foi atacada por três homens. Eles a agrediram com socos e, depois, dois deles a seguraram enquanto o terceiro riscava o simbolo nazista em sua barriga com um canivete. Outro caso aconteceu em São Paulo, com uma professora da Escola Estadual Conselheiro Ruy Barbosa, no Horto Florestal. Alunos do 3º ano do ensino médio fizeram uma inscrição com o seu nome e a expressão “preta galinha”, e foi desenhada uma suástica. A Secretaria Estadual da Educação repudiou o ato e a Delegacia de Repressão aos Crimes Raciais e de Delitos de Intolerância investiga o caso. Fonte: EXAME
Igreja Matriz de Santo Antônio de Pádua recebeu familiares, amigos e presbíteros para junto com o bispo diocesano despedirem-se do pastor que devotou sua missão á luta das ovelhas pobres e desfavorecidas Da letra da música ressoava o refrão: “Pai nosso, dos pobres marginalizados. Pai nosso, dos mártires, dos torturados”. As pessoas chegavam quietas, direcionando o olhar para uma triste movimentação próxima ao altar. Na esperança daquela cena ser apenas um sonho ruim, a emoção saltava aos olhos quando percebiam que havia mesmo um caixão, e dentro dele, o corpo de Pe. João Batista de Sousa Mesquita descansava de todo amor e dedicação que dedicara à sua missão na terra. A missa de corpo presente de Pe. Mesquita foi presidida pelo bispo da Diocese de Sobral Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos na manhã da segunda-feira (08) na Igreja Matriz de Santo Antônio de Pádua em Cariré, terra onde o sacerdote nasceu e se ordenou. Familiares, amigos e 29 presbíteros compareceram ao ato de despedida e esperança do ser humano que dedicou sua vida ao Reino de Deus e às lutas sociais pelos direitos dos mais pobres e necessitados. “Para os que creem a vida não é tirada, é transformada”, introduziu Dom Vasconcelos ao prestar suas condolências aos familiares de Pe. Mesquita presentes e acolher o clero diocesano, no meio do qual “ele foi e continuará sendo querido”, enfatiza o bispo. O significado da Eucaristia deu início à homilia: “É um momento de ação de graças, e estamos aqui para celebrar a vida do homem que consagrado por Deus, devotou sua missão aos pobres, aos mais sofridos e marginalizados. Aquele que incorporou a paixão de Jesus sendo capaz de perceber a presença dos irmãos e irmãs”, ressalta Dom Vasconcelos. O momento foi iluminado com a palavra de Deus: “A morte sempre nos causa dor, sofrimento, angústia. Isso ocorre porque fomos criados para a vida. A morte foi vencida pela vida na pessoa de Jesus Cristo”, lembra Dom Vasconcelos. Impactado em um primeiro momento pela descoberta da doença, Pe. Mesquita desejou e lutou pela vida. “Continuaremos chorando, pois choramos a partida, a ausência, a saudade, mas nos alegramos naquele que venceu a morte e é símbolo da vida”, enfatiza o bispo. Emocionado, Dom Vasconcelos dirigiu o olhar ao caixão e clamou: “Que o Senhor te abra as portas do paraíso e, se possível, interceda por nós que continuaremos a missão”. Sepultamento No final da missa, familiares e amigos prestaram suas homenagens. O prefeito de Cariré, Elmo Roberto Belchior Aguiar, que não pôde estar presente, enviou seus agradecimentos ao “ser humano tão caridoso, amável e de muita fé que colaborou com a comunidade”. A PJMP (Pastoral da Juventude do Meio Popular) ressaltou o compromisso de Pe. Mesquita com a defesa da vida dos pobres. A família agradeceu ao povo de Deus o amor demonstrado com seu ente querido. E seu irmão no sacerdócio, Pe. João Batista Rodrigues Vasconcelos, ressaltou que ele “sempre será lembrado pelas suas qualidades humanas e espirituais”. Após a missa, o cortejo fúnebre seguiu para o cemitério São João Batista. Motos, carros e pessoas a pé acompanharam uma última vez o corpo do missionário tão estimado por àqueles que o conheceram. Dezenas de fiéis observaram Dom Vasconcelos abençoar uma derradeira vez o homem que tanto se dedicou e lutou para construir o Reino de Deus com igualdade. Fé engajada Segundo o coroinha Gabriel Domingues, 14 anos, que servira no altar por muitas vezes na companhia de Pe. Mesquita: “Ele era uma pessoa muito boa. Em momentos de tristezas, sempre consolava a gente. Ajudava-nos em várias coisas. Fazia muitas amizades”, lembra o acólito. Servindo na missa de despedida do sacerdote, Gabriel confessa que não irá esquecer seus ensinamentos: “A vida é de Deus, mas está presente em nossa alma. Nem tudo o que queremos Deus nos dá, mas coisas boas com certeza Deus nos dá”, enfatiza ele. Rafael Melo, membro do movimento Levante Popular da Juventude, 28 anos, conheceu Pe. Mesquita em meio a lutas sociais. “A gente sempre estava envolvido na questão da juventude; das cidades. Fomos para o Grito dos Excluídos: ele levou uma caravana aqui de Cariré. Sempre nos encontrávamos, conversávamos bastante. Era muito apoiador de nossas causas; a palavra dele nos identificava”, ressalta o jovem que considerava o sacerdote um exemplo de ser humano e fé engajada. Biografia Pe. Mesquita nasceu no dia 04 de julho de 1955. Filho de Antonio Aprígio de Mesquita e Maria da Anunciação de Sousa, foi batizado em Cariré um dia depois de nascer pelo Diácono Antônio Silveira Bastos. O pároco da época era o Revmo. Pe. João Batista Ribeiro. Iniciou seus estudos na escola pública Isolada com a professora Maria Augusta. Foi transferido para o Patronato “Cel. João Rodrigues dos Santos” que era coordenado pelas Irmãs Missionárias Reparadoras do Sagrado Coração de Jesus. Concluiu a 5ª série em 1966. No ano seguinte, começou o ginásio e tendo sido aprovado no colégio estadual Dom José Tupinambá da Frota em Sobral, concluiu o curso colegial em 1974. No mesmo ano, ingressou no Seminário Maior em Fortaleza, onde depois do vestibular iniciou o curso de Filosofia de dois anos e o curso de Teologia de quatro anos. Recebeu a sagrada ordem do diaconato em dezembro de 1979, na Catedral de Sobral, das mãos de Dom Walfrido Teixeira Vieira, bispo diocesano da época. No dia 13 de dezembro de 1981 foi ordenado presbítero pelas mãos do mesmo bispo na Igreja Matriz de Santo Antônio de Pádua, em Cariré, sua terra natal. Presidiu a primeira missa no mesmo dia e na mesma igreja às 19 horas. Foi vigário cooperador em Massapê entre os anos de 1982 à 1984. De dezembro de 1984 à dezembro de 1994 foi pároco de Frecheirinha; período em que continuou assistindo a paróquia de Massapê com apoio dos padres Raimundo Nonato Timbó de Paiva e João Batista Nery de Abreu. Entre os anos de 1995 a fevereiro de 2003 foi pároco de Massapê. De 2003 a 2008 foi pároco em Mucambo. Continuou sua missão em Sobral, na paróquia de Nossa Senhora do Patrocínio entre os anos de 2008 a 2013 e primeiro pároco da paróquia de São José no bairro do Sumaré, de 2014 a 2017. Entre os anos de 1981 a 1984 serviu como vice-reitor do Seminário Diocesano. Durante dez anos trabalhou como assessor da Pastoral da Juventude do Meio Popular (PJMP) na diocese de Sobral. De 1981 a 1991 exerceu a função de acompanhante da Pastoral da Juventude e, em seguida, por necessidade, colocou-se a serviço das Comunidades Eclesiais de Base (CEB’s). Em Massapê, lecionou no Colégio Maria do Carmo Carneiro e acompanhava pastoralmente e por meio de formações, o Colégio Adauto Bezerra. Foi membro do Colégio de Consultores da Diocese de Sobral. Seu pensamento pessoal: “Estou profundamente convicto de que Jesus Cristo tem de ser a paixão maior de nossas vidas, para que, com esta Igreja servidora e profética, fiel a ele, possamos construir um mundo de paz, de comunhão, como vislumbre do reino de Deus”. Fonte: UNGIDOS DO SENHOR NA EVANGELIZAÇÃO DO CEARÁ (1700 A 2004). Prof. Aureliano Diamantino Silveira. Tomo II. Pag. 205. Emoção Alexandre Oliveira Sousa, 26, afilhado de Pe. Mesquita O jovem, profundamente emocionado, que banhava o caixão com lágrimas era Alexandre Oliveira Sousa, de 26 anos, afilhado de batismo de Pe. Mesquita. “Foi a primeira pessoa com quem tive contato que lutava pelos mais pobres. Quando cresci, andei com ele em missões nas comunidades. Ele deixou um exemplo magnífico de integridade, de luta pelos pobres, dedicação a Deus e à família; um exemplo a seguir”, enfatizou o rapaz que mora em Frecheirinha; onde Pe. Mesquita foi pároco por dez anos. Fonte: Correio da Semana
Todo cristão é cidadão, corresponsável pela pátria, pelo bem de todos e pela dignidade do ser humano A dignidade do ser humano e o bem comum devem ser a tônica das escolhas dos cristãos em especial durante as eleições. Assim, como cidadãos e como pessoas tementes a Deus, é preciso que busquem não apenas o interesse próprio, mas a vida em abundância para todos. “Todos os cristãos, católicos ou não, e todos os homens e mulheres tementes a Deus e de boa vontade devem buscar o que é fundamental, a dignidade do ser humano. Queremos o bem comum, a felicidade de todos e não o interesse próprio momentâneo”, explica o vigário geral da Diocese de Sobral, Monsenhor Gonçalo de Pinho Gomes. O vigário geral explica que é necessário entender a política como a arte de bem dirigir as coisas públicas. “Não podemos esquecer que todo cristão é cidadão, corresponsável pela pátria, pelo bem de todos. Precisamos entender a política como a arte de bem dirigir as coisas públicas”, avalia. O eleitor também precisa se posicionar como responsável pela nação, pelo bem público. “Ser eleitor é ser corresponsável por governar a nação. Como batizados, temos a função real de dirigir as coisas segundo a vontade de Deus.” Mesmo entre os não religiosos, o desejo pelo bem comum deve prevalecer, segundo Pe. Gonçalo. “As pessoas não se realizam individualmente, mas na comunidade. Por isso, mesmo entre os não-religiosos, o espírito do bem comum deverá prevalecer”, avalia. O voto precisa ser dado segundo a consciência. “É preciso votar de acordo com sua consciência e não votar por interesse, por simpatia, em quem vai ganhar”, ressalta. A democracia é, então, uma responsabilidade permanente de todos. “Não fazemos política partidária, mas damos uma orientação contínua e permanente para que as pessoas possam se posicionar”, avalia. Orientação A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em sua 56ª Assembleia Geral da CNBB falou ao povo brasileiro, além de ter lançado uma cartilha de orientação para as eleições. O compromisso político da Igreja é com a paz, a justiça e o bem comum. Por isso, fundamental é conhecer e avaliar as propostas e a vida dos candidatos, procurando identificar com clareza os interesses subjacentes a cada candidatura, segundo a mensagem da CNBB. “A campanha eleitoral torna-se, assim, oportunidade para os candidatos revelarem seu pensamento sobre o Brasil que queremos construir. Não merecem ser eleitos ou reeleitos candidatos que se rendem a uma economia que coloca o lucro acima de tudo e não assumem o bem comum como sua meta, nem os que propõem e defendem reformas que atentam contra a vida dos pobres e sua dignidade. São igualmente reprováveis candidaturas motivadas pela busca do foro privilegiado”, diz o texto. “Nas eleições, não se deve abrir mão de princípios éticos e de dispositivos legais, como o valor e a importância do voto, embora este não esgote o exercício da cidadania; o compromisso de acompanhar os eleitos e participar efetivamente da construção de um país justo, ético e igualitário; a lisura do processo eleitoral, fazendo valer as leis que o regem”, diz a mensagem da CNBB. Entre os dispositivos legais estão a Lei 9840/1999 de combate à corrupção eleitoral mediante a compra de votos e o uso da máquina administrativa, e a Lei 135/2010, conhecida como “Lei da Ficha Limpa”, que torna inelegível quem tenha sido condenado em decisão de órgão judicial colegiado. Cheia de esperança também é a mensagem da CNBB ao povo brasileiro. As eleições de 2018, segundo a instituição, devem garantir o fortalecimento da democracia e o exercício da cidadania da população brasileira. “É imperativo assegurar que as eleições sejam realizadas dentro dos princípios democráticos e éticos para que se restabeleçam a confiança e a esperança tão abaladas do povo brasileiro. O bem maior do País, para além de ideologias e interesses particulares, deve conduzir a consciência e o coração tanto de candidatos, quanto de eleitores. Incentivamos as comunidades eclesiais a assumirem, à luz do Evangelho, a dimensão política da fé, a serviço do Reino de Deus. Sem tirar os pés do duro chão da realidade, somos movidos pela esperança, que nos compromete com a superação de tudo o que aflige o povo. Alertamos para o cuidado com fake news, já presentes nesse período pré-eleitoral, com tendência a se proliferarem, em ocasião das eleições, causando graves prejuízos à democracia”. Fonte: Correio da Semana
No Ceará, a estimativa são de 2 mil novos casos de câncer de mama e 990 de câncer do colo do útero A Campanha Outubro Rosa é um movimento que ganha força com o objetivo de conscientizar sobre a doença. Em Sobral, está sendo realizada uma campanha da Prefeitura de Sobral, por meio da Secretaria da Saúde, para reforçar a importância de conscientizar a sociedade, principalmente as mulheres, para a prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama e de colo do útero. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), a estimativa para o ano de 2018 é que em todo o país surjam aproximadamente 60 mil novos casos de câncer de mama, e cerca de 16 mil novos casos de câncer de colo do útero. No Ceará a estimativa são de 2 mil novos casos de câncer de mama e 990 de câncer do colo do útero. Todos os Centros de Saúde da Família (CSF) do município de Sobral ofertam de forma permanente vários serviços para o diagnóstico precoce como mamografias, exames clínicos e trabalhos educativos com equipe multidisciplinar. “A prevenção é o caminho para combater o câncer de mama. Neste mês a visibilidade é maior, mas são complementos do trabalho preventivo que realizamos durante todo o ano no município. A faixa etária recomendada pelo Ministério da Saúde para realização dos exames são as mulheres de 50 a 69 anos e, por isso, as unidade estão captando de forma intensiva essas mulheres durante este mês de outubro para conscientizá-las e encaminhá-las para realização dos exames”, explica Gerúsia Gurgel, coordenadora da Atenção Primária à Saúde no município. De acordo com Walkiria Viana, gerente do Centro de Especialidades Médicas (CEM), mensalmente o município disponibiliza, em média, a realização de 600 mamografias. Diariamente são ofertados 30 exames, quantidade mais do que suficiente para a demanda . “A mamografia é um exame simples, feito por um aparelho chamado mamógrafo, que tira um raio-x da mama. Esse exame permite descobrir o câncer de mama ainda no início”, destaca Walkiria. Durante todo o mês de outubro, alguns prédios públicos estão com iluminação especial em alusão ao Outubro Rosa. Os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) também estão com programação voltada para o assunto, com palestra e roda de conversa. Campanha A Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) escolheu o acesso ao tratamento como prioridade da campanha anual de combate ao câncer de mama e de conscientização sobre a importância da detecção precoce da doença. Todos os anos, a SBM promove campanhas como parte do movimento internacional Outubro Rosa. “Não adianta a gente discutir terapias ultramodernas, cirurgias sofisticadas, radioterapia intraoperatório se as mulheres que têm câncer de mama no nosso país não conseguem agendar uma consulta com mastologista ou não conseguem fazer uma mamografia”, lamentou o presidente da SBM, Antônio Frasson. A falta de acesso atinge, principalmente, pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) o que provoca sofrimento na paciente e na família. A reversão desse quadro, segundo Frasson, depende mais de políticas públicas de atenção à saúde do que dos profissionais médicos. Segundo Frasson, os profissionais da SBM estão mobilizados para garantir agilidade no tratamento. “Depois que a paciente chega até a gente, nós que trabalhamos no SUS, procuramos queimar etapas tradicionais, encurtar o tempo e agilizar o tratamento.” De acordo com o especialista, existe uma demanda reprimida nos postos de saúde o que faz com que as pacientes demorem mais a chegar nos profissionais. Frasson ressaltou que o diagnóstico precoce facilita as cirurgias que, em geral, são menores, encurta o período da radioterapia e da quimioterapia e diminui custos emocionais e econômicos. “É muito mais simples você tratar um tumor pequeno do que um grande.” Antônio Frasson disse que outro aspecto importante é a própria mulher se interessar pela sua saúde e lutar pelos seus direitos. “Direito de fazer mamografia a partir dos 40 anos, direito de ter acesso ao tratamento médico. A mobilização deve ser de todos, da sociedade como um todo”. (Com informações da Prefeitura de Sobral e da Agência Brasil) Fonte: Correio da Semana
O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, visitará Roma no próximo dia 18 de outubro para se reunir com o Papa Francisco e para participar de uma importante Eucaristia que será celebrada na Basílica de São Pedro, no Vaticano. A notícia foi anunciada pelo diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Greg Burke, na manhã desta terça-feira, 9 de outubro. Deste modo, o Chefe de Estado da República da Coreia, também conhecida como Coreia do Sul para diferenciá-la de sua vizinha do norte onde rege um sistema político comunista, será recebido pelo Santo Padre em audiência no Palácio Apostólico. Um dia antes, em 17 de outubro, o programa da visita prevê que o presidente Moon Jae-in participará da “Missa pela Paz” na Península Coreana, presidida pelo Secretário de Estado, Cardeal Pietro Parolin, que será realizada na Basílica de São Pedro. Esta visita diplomática acontece enquanto no Vaticano continuam os trabalhos da XV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos sobre os jovens, a fé e o discernimento vocacional, que será concluída em 28 de outubro. Fonte: ACI
A área urbana do município contempla 65% de esgotamento sanitário. Recursos para a ampliação serão captados junto ao Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) Relacionado a três eixos principais: abastecimento de água, esgotamento sanitário e destinação correta de lixo, o Saneamento Básico tem relação direta com as condições de saúde da população. Cada R$ 1 investido em saneamento gera economia de R$ 4 na saúde, segundo estimativa do Instituto Trata Brasil. No entanto, a cobertura em especial de esgotamento sanitário está longe de chegar aos 100%. A média é de 51,92% da população no País, enquanto no Ceará, a coleta de esgoto alcança 25,15% de cobertura e o tratamento de esgoto (35,43%), de acordo com o Trata Brasil. Em Sobral, os números são mais animadores, segundo informações do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Sobral (Saae). A área urbana do município alcança 65% de esgotamento sanitário e a expectativa é superar os 90% em até três anos. O investimento será financiado junto ao Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF). O distrito de Jaibara contempla 50% de áreas saneadas, enquanto o distrito de Taperuaba está sendo saneado com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e um orçamento que supera R$ 9 milhões. “O saneamento de Sobral é um dos melhores do Ceará”, garante o diretor presidente do SAAE Sobral, Edmundo Rodrigues Júnior. Já estão em execução o esgotamento sanitário dos bairros Pe. Ibiapina, Domingos Olímpio e Cohab III com um orçamento de R$ 18,4 milhões. Serão nove bairros saneados com recursos da CAF: Cidade José Euclides, Junco, Campo dos Velhos, Dom Expedito, Expectativa, Parque Silvana, Alto do Cristo, Alto da Brasília e Cohab II. A tubulação para a rede de esgoto é de responsabilidade do SAAE enquanto o usuário fica responsável pela construção das caixas de coleta. Segundo Edmundo Rodrigues, já foi possível avançar nos últimos anos em todo o País. “Avançamos muito. Os governos anteriores já investiram em saneamento em programas como o Sanear”, avalia. O bairro Centro já está totalmente saneado. Serão construídas estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) na Estrada dos Remédios, Derby, Cidade José Euclides e Caiçara. A população percebe que o saneamento já avançou, mas ainda são precisos novos investimentos, segundo a manicure Helena Araújo, 39, que mora no bairro Parque Santo Antônio. “A nível da cidade acho que precisa melhorar. Sempre vejo as equipes consertando esgoto na rua e isso causa transtornos no trânsito, quebra o asfalto, danificam a pavimentação”, avalia. Água Paralelo ao esgotamento sanitário, o SAAE também tem investido na melhoria do tratamento e abastecimento de água. Com recursos do PAC, está em construção uma Estação de Tratamento (ETA) no Sumaré com 200 l/s orçada em R$ 11,7 milhões e uma adutora no bairro Dom Expedito com 100 l/s e um orçamento de R$ 7 milhões com recursos da Caixa Econômica Federal, além de duas Estações de Tratamento (ETAs) moduladas de 16 l/s cada com custo de R$ 608 mil com recursos da Caixa Econômica. Haverá ainda 4 reservatórios de água dos quais 3 com capacidade de 1 milhão de litros e um com 500 mil litros. O recurso de R$ 1,9 milhão é proveniente da Caixa. A expectativa é de que em três anos a capacidade de tratamento de água quase dobre com 300 litros/s a mais sendo produzidos, alcançando um montante de 509 l/s ou 1832 m³/s. “Resta otimizar a distribuição de água. Temos o projeto de uma adutora da ETA Sumaré para a Cidade José Euclides”, completa Edmundo. A capacidade é de 1 milhão de litros. Fonte: Correio da Semana
Página 1 de 55