Diocese

Diocese (217)


Para ter acesso ao sinal e aos benefícios da TV digital, os telespectadores de Sobral, Forquilha, Massapê e Santana do Aracaú precisam adaptar seu aparelho de televisão antes do dia 28 de agosto

No dia 28 de agosto, daqui a menos de um mês, o sinal analógico de televisão será desligado na região de Sobral, como informa a Seja Digital, entidade não governamental e sem fins lucrativos, responsável pelo processo de migração do sinal de TV no Brasil. Após essa data, a programação dos canais abertos será transmitida apenas pelo sinal digital, com imagem e som de cinema. Para continuar assistindo à programação, todas as residências da região precisam ter uma antena digital e um aparelho de televisão preparado para receber o sinal digital.

Para saber se a sua casa já está preparada ou se será necessário providenciar mudanças para continuar assistindo os canais abertos de televisão, é preciso conferir:

1) Antena – Nem toda antena consegue captar o sinal digital de televisão. A antena deve ser digital e a recomendação da Seja Digital é que o modelo seja externo, instalado no telhado da casa.

2) Televisor – Se o aparelho for uma televisão de tubo, será necessário instalar um conversor de sinal. Se o televisor for de tela fina e não estiver preparado para receber o sinal digital, também precisará de um conversor de sinal. Para ter certeza se o televisor já tem o conversor, consulte o manual do fabricante.

3) TV paga ou parabólica – Se você utiliza algum desses serviços, não será necessário adaptar sua TV ou antena. Em todo caso, entre em contato com sua operadora ou com um antenista para garantir a continuidade do serviço em todos seus televisores.

Inclusão Digital

As famílias de Sobral e de outras 3 cidades da região devem verificar se têm direito a retirar um dos mais de 7 mil kits gratuitos, com antena digital e conversor com controle remoto, que ainda estão disponíveis. A população deve acessar o site sejadigital.com.br/kit ou ligar gratuitamente para o número 147 com o NIS (Número de Identificação Social) em mãos. Se o nome estiver na lista, é só escolher o dia, horário e local para retirar os equipamentos.

Por meio desses canais, a população também poderá tirar dúvidas sobre as mudanças trazidas pela TV digital e sobre como se preparar para receber o novo sinal.

Digitalização passou por grandes cidades

Mais de 600 cidades brasileiras já passaram por essa mudança, incluindo a regiões de Brasília, São Paulo, Goiânia, Recife, Salvador, Fortaleza, Vitória, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre, São Luís, Aracaju, Belém, João Pessoa, Maceió, Manaus, Natal e Teresina. Durante o processo, a entidade realiza diversas ações com o objetivo orientar, informar e oferecer suporte didático a toda população por meio de campanhas de comunicação e mobilização social. Com o desligamento do sinal analógico, os moradores dessas cidades passaram a assistir os canais abertos de televisão apenas pelo sinal digital, que transmite a programação gratuitamente com imagem e som de cinema. A Seja Digital já distribuiu mais de 10 milhões de kits em todo o Brasil.

Sobre a Seja Digital

A Seja Digital (EAD – Entidade Administradora da Digitalização de Canais TV e RTV) é uma instituição não governamental e sem fins lucrativos, responsável por operacionalizar a migração do sinal analógico para o sinal digital da televisão no Brasil. Criada por determinação da Anatel, tem como missão garantir que a população tenha acesso à TV Digital, oferecendo suporte didático, desenvolvendo campanhas de comunicação e mobilização social e distribuindo kits para TV digital para as famílias cadastradas em programas sociais do Governo Federal. Também tem como objetivos aferir a adoção do sinal de TV digital, remanejar os canais nas frequências e garantir a convivência sem interferência dos sinais da TV e 4G após o desligamento do sinal analógico. Esse processo teve início em abril de 2015 e, de acordo com cronograma definido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, mais de 1300 municípios terão o sinal analógico desligado até 2018.

Fonte: Correio da Semana

Sexta, 10 Agosto 2018 13:34

Morre nos EUA Padre Robert DeGrandis

Escrito por

Faleceu, na tarde desta segunda-feira, 6, por volta das 17h, aos 87 anos, Padre Robert DeGrandis, um dos maiores pregadores da RCC no mundo.

Padre DeGrandis morreu em decorrência da doença de Parkinson (diagnosticada em 2003), agravada por seguidos derrames e um câncer generalizado, conforme informado pelo Superior Geral da Ordem de São José nos EUA, Padre Michael Thompson e comunicado ao Jornalismo Canção Nova pela tradutora oficial do sacerdote no Brasil, Estela Camargo. 

O sacerdote faleceu na Casa de Repouso da Congregação nos EUA, onde morava desde 2004.

Quem foi Padre Robert DeGrandis

Padre Robert DeGrandis foi ordenado sacerdote em 1959, e pertencia à Ordem de São José (S.S.J.). Desde 1979 se dedicou unicamente à Renovação Carismática Católica (RCC), especialmente em encontros de Cura Interior.

Sua mensagem sobre o amor e o poder de Deus em curar chegou a mais de 60 países, onde esteve pessoalmente. Foi um dos responsáveis em formar os membros da RCC, através de seus livros e pregações, sobre os dons do Espírito Santo, os ministérios de cura e libertação, a Eucaristia. Ao todo, Padre DeGrandis escreveu mais de 40 livros, publicados em várias línguas.

Esteve no Brasil diversas vezes ao longo de 25 anos, sendo a última vez, em um Retiro de Carnaval na Canção Nova, em 2003.

Fonte: Canção Nova

“A Igreja Romana convida-nos hoje a celebrar o triunfo glorioso de São Lourenço, que, desprezando as ameaças e as seduções do mundo, venceu a perseguição do demônio”, disse certa vez o Bispo Santo Agostinho em um de seus sermões.

São Lourenço era um dos diáconos que ajudavam o Papa Sisto II, o qual foi assassinado pela polícia do imperador quando estava celebrando a Missa em um cemitério de Roma.

A antiga tradição conta que São Lourenço, ao ver que iam matar o Pontífice, disse-lhe: “Meu pai, vais sem levar o teu diácono?”. E o Santo Padre respondeu: “Meu filho, em poucos dias me seguirás”.

São Lourenço se alegrou muito de saber que iria logo para o céu e, vendo o perigo que se aproximava, recolheu todos os bens que a Igreja tinha em Roma, vendeu-os e distribuiu o dinheiro para os mais necessitados.

O prefeito, que era pagão e apegado ao dinheiro, chamou São Lourenço e mandou que o levasse aos tesouros da Igreja para custear uma guerra que o imperador ia começar. O santo pediu alguns dias de prazo para reuni-los.

O diácono, então, reuniu os pobres, deficientes, mendigos, órfãos, viúvas, idosos, cegos e leprosos que ele ajudava com esmolas. Mandou chamar o prefeito e lhe disse que eles eram o tesouro mais precioso da Igreja de Cristo.

O prefeito, cheio de raiva, mandou matá-lo lentamente. Colocaram o santo em um braseiro ardente. Os fiéis viram o rosto do mártir rodeado de um esplendor muito formoso e sentiram um agradável aroma, enquanto os pagãos não percebiam nada disso.

Depois de estar queimando na grelha por um tempo, o valente mártir disse ao juiz que o virassem do outro lado, para ficar completamente queimado. Quando já se se aproximava a sua hora e com uma tranquilidade impressionante, pediu a Deus pela propagação do cristianismo no mundo e partiu para a Casa do Pai em 10 de agosto de 258.

Conta-se que esse martírio significou o declínio da idolatria romana e que a Basílica de São Lourenço, em Roma, é considerada a quinta em importância.

A devoção a este grande santo se espalhou por todo o mundo e muitos povos e cidades levam o seu nome.

Até mesmo o nome da equipe de futebol favorita do Papa Francisco, o ‘Club Atlético San Lorenzo de Almagro’, é em honra do diácono mártir, como foi o desejo do salesiano Pe. Lorenzo Massa, na fundação da equipe.

Fonte: ACI

Neste ano, a Semana Nacional da Família, promovida pela Igreja no Brasil para a valorização das famílias, terá também o objetivo de preparar os fiéis para o Encontro Mundial que acontecerá na Irlanda com o Papa Francisco.

A Semana Nacional da Família terá início no próximo domingo, 12 de agosto, Dia dos Pais, e seguirá até o dia 18 de agosto, sendo celebrada em todo o país, promovida pela Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF) e Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

O tema deste ano será “O evangelho da Família, alegria para o mundo”, o mesmo do IX Encontro Mundial das Famílias com o Papa Francisco, que acontecerá em Dublin, Irlanda, entre os dias 22 e 26 de agosto.

“O ‘Evangelho da Família’ ressalta o lado positivo da família, a família como boa notícia, como um bem, um dom de Deus”, indicou o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB e Bispo de Osasco (SP), Dom João Bosco Barbosa de Sousa.

“‘Alegria para o mundo’ acentua o fato de que ser família não é um aspecto da doutrina, um valor apenas para os cristãos ou para as pessoas religiosas. É uma riqueza para o mundo, para a humanidade toda”, assinalou.

Por sua vez, o assessor nacional da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB, Pe. Jorge Filho, explicou que, “motivados pelo tema do IX Encontro Mundial das Famílias, queremos, juntos com o Papa, nos empenhar para anunciarmos o Evangelho da Família que deve ser a alegria para o mundo”.

O Encontro Mundial das Famílias foi idealizado por São João Paulo II em 1992 e acontece a cada três anos, com objetivo de “celebrar o dom divino da família” e aprofundar a “compreensão da família cristã como Igreja doméstica e unidade básica de evangelização”.

Neste ano, além das famílias brasileiras que se inscreveram para o evento, o Brasil estará também representado pelo presidente da Comissão para a Vida e Família da CNBB, Dom João Bosco Barbosa de Sousa, pelo assessor nacional da comissão, Pe. Jorge Alves Filho, e pelo casal coordenador nacional da Pastoral Familiar, Luiz Zilfredo Stolf e Carmen Rodrigues Stolf.

“Esperamos que esse encontro reforce o trabalho de evangelização que vem sendo realizado pela Pastoral Familiar, esclareça questões, chame a atenção do mundo para a importância da família, construída segundo a vontade de Deus, pois só assim ela pode ser alegria para o mundo”, concluiu Dom Bosco.

Fonte: ACI

Terminou no começo da noite desta segunda-feira, 6, a audiência pública convocada pela ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), para elaborar relatório do julgamento da ação que visa a declarar inconstitucionais os artigos 124 e 126 do Código Penal, que criminalizam a prática do aborto.

A arguição de descumprimento de preceito fundamental (a ADPF 442), foi apresentada pelo PSOL e descriminaliza mulheres que façam a interrupção voluntária da gestação até a 12ª semana da gravidez. Caso o julgamento acolha a ação, a equipe médica envolvida no procedimento também não poderá ser punida.

Não há prazo para Rosa Weber apresentar o seu parecer. No encerramento da audiência, a ministra declarou que o “próximo tempo é de reflexão”. Ao concluir o voto, ela encaminhará relatório aos demais ministros do STF. Antes disso, Rosa Weber deverá pedir manifestação da Procuradoria-Geral da República e também decidir sobre as demandas de instituições que querem se manifestar como amicus curiae (amigo da corte) associado à causa, durante o julgamento no Plenário do Supremo.

Tanto nesta segunda-feira como na sexta-feira, participantes e expectadores da audiência avaliaram que foram ouvidas mais pessoas favoráveis à descriminalização do que contrárias. De acordo com o Supremo, foram recebidos mais de 180 pedidos para participar da audiência, foram acolhidos 52 pedidos.

 

“No oratório, rendemos a Deus a homenagem da adoração, nos hospital o encontramos pessoalmente”, costumava dizer São Caetano, padroeiro do pão e do trabalho, cuja festa é celebrada neste dia 7 de agosto.

São Caetano nasceu em Vicenza (Itália) em 1480. Estudou na Universidade de Pádua, formando-se na teologia e doutorando-se em direito civil e canônico.

Sua inquietude o levou a Roma, onde em pouco tempo foi nomeado secretário do Papa Júlio II. Com a morte do Pontífice, quis se preparar para o sacerdócio e foi ordenado em 1516, aos 36 anos.

Fundou em Roma a “Confraria do Amor Divino”, associação de clérigos que promovia a glória de Deus. Depois, ingressou no Oratório de São Jerônimo, que seguia a mesma linha da obra que tinha fundado, mas incluía também leigos pobres.

Seus amigos não gostaram dessa decisão, pois consideravam que alguém de linhagem como ele não deveria estar ali. Mas, o santo seguiu adiante, atendendo até mesmo os pacientes com doenças que muitos desprezavam.

Estando em Veneza, implantou a bênção com o Santíssimo Sacramento e incentivou a comunhão frequente. Uma vez escreveu: “Não estarei satisfeito até que veja os cristãos se aproximarem do banquete celestial com simplicidade de crianças famintas e alegres, e não cheios de medo e falsa vergonha”.

Naquela época, a cristandade passava por um período de crise. São Caetano, contemporâneo de Lutero, incentivava uma verdadeira reforma de vida e costumes na Igreja, mas sem dividi-la.

Em Roma, junto com alguns companheiros, fundou a Ordem dos Clérigos Regulares Teatinos, que buscava a renovação do clero, a pregação da doutrina, o cuidado dos doentes e a restauração do uso frequente dos sacramentos.

São Caetano teve que sofrer incompreensões e rechaços pela missão renovadora que tinha empreendido. Mais tarde, com o Beato João Marinoni, o santo fundou os “Montes de Piedade” para libertar da miséria pobres e marginalizados.

Ao final de sua vida, abriu um asilo para idosos e hospitais. Quando ficou muito doente, os médicos sugeriram que colocasse um colchão sobre sua cama de tábuas, mas o santo respondeu: “Meu salvador morreu na cruz; deixe-me pois morrer também sobre um madeiro”. Partiu para a Casa do Pai em Nápoles, em 7 de agosto de 1547, aos 77 anos.

O Papa Francisco, desde que era Cardeal, tem um carinho especial por São Caetano, que também é muito querido na Argentina. São inúmeros os peregrinos que vão venerá-lo no templo em honra deste santo, no bairro portenho de Liniers (Buenos Aires).

Fonte: ACI

Teve início na manhã desta segunda-feira, 6, na sala da Primeira Turma no Supremo Tribunal Federal, a segunda audiência pública a respeito da descriminalização do aborto até a 12ª semana.

primeira audiência foi realizada na sexta-feira, 3, em que argumentos favoráveis e contrários à legalização foram apresentados para que a relatora Rosa Weber possa construir seu relatório, que deve posteriormente ser votado no STF.

No primeiro dia de debate, além dos grupos pró-vida, 19 expositores entre entidades médicas, movimentos feministas e organizações internacionais defenderam o aborto, apresentando o número de práticas feitas no país e os riscos para a vida da mãe.

Na parte da manhã desta segunda-feira, a CNBB se pronunciou, na pessoa de Dom Ricardo Hoepers, bispo de Rio Grande (RS), e de Padre Eduardo de Oliveira e Silva, da Diocese de Osasco (SP), em defesa da vida.

Dom Ricardo lembrou que a discussão em relação ao aborto acusa, na verdade, um problema que o Brasil tem de saúde pública, e que neste momento deve-se pensar na criança, pois se a questão é de saúde, a lei deve proteger a criança e a mãe de forma proporcional. 

“O problema é que ninguém quer nominar esse inocente. Ele foi apagado, deletado dos nossos discursos para justificar esse intento em nome da autonomia e liberdade da mulher. Mas, a criança em desenvolvimento na 12ª semana é uma pessoa, uma existência, um indivíduo real, único e irrepetível e, provavelmente, neste momento, a mãe já escolheu um nome para seu filho”. 

O bispo também convidou a ministra Rosa Weber a conhecer as casas Pró-vida, antes de tomar sua decisão. “Nelas, a Sra. não vai encontrar só mulheres que recepcionaram os números 124 e 126 do Código Penal, não atentando contra a vida inocente, mas também encontrará os filhos que elas não abortaram dizendo: “obrigado porque me deixaram viver!!!”. A Sra. poderá mostrar ao mundo que nenhuma sociedade democrática está condenada e obrigada a legalizar o aborto por pressões externas. Poderá mostrar que nosso país não se rebaixa para interesses estrangeiros sobre nossa soberania.”

Padre Eduardo foi taxativo em relação ao papel do STF e denunciou tanto a discussão no Supremo quanto a ADPF, afirmando que os que defendem o aborto tiveram mais representantes dos que os que defendem a posição contrária. “Isto não respeita o princípio do contraditório que está expresso na Constituição”. 

Ao final, desmentiu os números mundiais apresentados sobre o aborto, apresentando os dados em cada um dos países em que foi liberado. “A conclusão é que, exatamente ao contrário do que foi sustentado aqui pelos que estão interessados em promover o aborto, quando se legaliza o aborto o número de abortos aumenta, e não diminui. É no primeiro mundo onde se praticam mais abortos, e não no Brasil. Por favor, não mintam para o povo brasileiro. Nós somos uma democracia.”

Participações

Ainda participam neste dia entidades como a Associação Nacional Pró-Vida e Pró-Família, o Conselho Nacional do Laicato do Brasil da Arquidiocese de Aracaju/SE, a Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família e a União dos Juristas Católicos de São Paulo (UJUCASP).

Dra Ângela Gandra Martins Silva é a representante da UJUCASP, e está confiante em relação à decisão do Tribunal. Ela afirma que não há descumprimento de preceito fundamental, nem suposto direito constitucional ao aborto, uma vez que o assunto foi discutido pelos constituintes.

“Se o povo de fato quisesse mudar algo, deveria ir ao Legislativo, onde há vários projetos nesse sentido, principalmente a favor da vida. De qualquer forma, estou confiante que nossa Ministra Relatora Rosa Weber acompanhada colegialmente pela corte não cometerá esse aborto jurídico!”, declarou em entrevista ao noticias.cancaonova.com.

A especialista, além de representar a entidade, diz que defende a vida como professora de filosofia do Direito, como antropóloga, como mulher e como ser humano. Dra. Ângela afirma que o que a move não são as estatísticas, mas a raiz do problema a ser solucionado, e ressalta que o direito deve fortalecer as relações humanas. 

“Que espécie de relações humanas estamos protegendo ao legalizar o aborto? Temos que encarar as crises sociais com profundidade. Não são as estatísticas que atestam o que é humano. Também tivemos o holocausto, a escravidão ou a corrupção em larga escala. O que importa é saber o que é o ser humano para dar-lhe o que é devido. Quando uma sociedade clama pelo aborto há algo de muito infra-humano ou anti-humano “por baixo do sol…” E somente uma verdadeira racionalidade humana poderá resolver, como diria a filósofa Hannah Arendt.”

A audiência desta segunda-feira teve início às 8h40 e está prevista para terminar às 18h20.

Fonte: Canção Nova

Sobral é uma das cidades na lista de prevenção da Secretaria de Saúde do Estado, classificada de alto risco por critérios como alta densidade demográfica e fluxo intenso de pessoas. Campanha de vacinação vai até o final de agosto

O sarampo, erradicado no Brasil desde 2015, volta a ser uma ameaça à saúde e até à vida das crianças. Segundo o mais recente boletim epidemiológico divulgado na quinta-feira, 2, pelo Ministério da Saúde, o País já registra 1.053 casos confirmados de sarampo, nenhum dos quais no Ceará. No entanto, as vigilâncias em saúde a nível municipal e estadual estão atentas ao risco. Em Sobral, a expectativa é vacinar 11.597 crianças de 1 ano a menores de cinco anos na Campanha de Vacinação contra sarampo e poliomielite que começa nesta segunda-feira, 6, e vai até 31 de agosto. Em todo o País serão 11 milhões de crianças imunizadas. A vacina contra o sarampo usada na campanha é a Tríplice Viral, que protege também contra a rubéola e a caxumba.
A estratégia de imunização é a mais importante em casos de doenças como o sarampo, segundo a Coordenadora de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde do Estado, Daniele Queiroz. Ela explicou que desde 2015, quando a doença foi erradicada no Estado, a Secretaria passou a intensificar a vigilância com uma análise de priorização de municípios para a prevenção de novos casos. Foi definida uma lista de municípios prioritários de alto e muito alto risco de acordo com critérios como alta densidade demográfica com intensos aglomerados urbanos, maior presença de áreas urbanas e fluxo intenso de pessoas em virtude de trabalho ou turismo, por exemplo.
Dentro dessa lista de prevenção está Sobral junto a outros 56 municípios. Destes, segundo Daniele, 48 já foram visitados pela Secretaria de Saúde. Segundo Daniele Queiroz, não se pode dizer que haverá novamente casos da doença no estado. “O objetivo é encontrar territórios prioritários para análise de risco. No entanto, para se ter uma epidemia no Ceará seria necessário que alguém chegasse doente. Desde 2015, não temos nenhum caso da doença”, ressalta.
Em Sobral, o objetivo é vacinar 100% das crianças de 1 ano a menores de 5 anos, segundo a Coordenadora da Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde do município, Francisca Escócio “Trata-se de uma doença totalmente prevenível por vacina. Temos condições favoráveis de prevenção”, ressalta. A volta do risco do sarampo deve-se a um afrouxamento das medidas de prevenção, segundo Escócio, com pais não tendo a devida preocupação de levar os filhos aos postos de saúde.
“A atual geração não conheceu o sarampo, mas é uma doença séria que pode causar problemas de visão, audição, retardo mental e até a morte”, alerta Escócio. O maior risco é a rápida disseminação da doença. A coordenadora lembra ainda que todos os países da América Latina possuem o selo que os identifica como nações livres do sarampo. Se o Brasil perder o título, todos os demais países também serão prejudicados.

Prevenção
No Brasil, a maioria dos casos confirmados de sarampo foram na Região Norte, sendo 742 no Amazonas e 280 em Roraima. Há ainda casos considerados isolados em São Paulo (1), no Rio de Janeiro (14), no Rio Grande do Sul (13), em Rondônia (1) e no Pará (2). Pelo menos 4.470 casos permanecem em investigação no Amazonas e 106 em Roraima, segundo o Ministério da Saúde. “O Ministério da Saúde permanece acompanhando a situação e prestando o apoio necessário ao estado. Cabe esclarecer que as medidas de bloqueio de vacinação, mesmo em casos suspeitos, estão sendo realizadas em todos os estados”, informou em nota.
A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite e Sarampo tem como meta imunizar pelo menos 95% do público-alvo, numa tentativa de reduzir a possibilidade de retorno da pólio e a chamada reemergência do sarampo, doenças já eliminadas no Brasil. Em 2017, dados preliminares apontam que a cobertura no Brasil foi de 85,2% na primeira dose contra o sarampo (tríplice viral) e de 69,9% na segunda dose (tetra viral).
Todas as crianças com idade entre 1 ano e menores de 5 anos devem ser levadas aos postos de vacinação, independentemente da situação vacinal. Mesmo as crianças que já foram vacinadas anteriormente devem ser levadas aos postos. Quem estiver com o esquema vacinal incompleto receberá as doses necessárias para atualização e quem estiver com o esquema vacinal completo receberá outro reforço.

Missão realizada de 26 a 29 de julho contou com mais de 400 participantes jovens

Centenas de jovens da Diocese de Sobral tiveram uma experiência missionária em que puderam levar às famílias a palavra de Deus e celebrar a unidade entre a quinta-feira, 26, e o domingo, 29 de julho. A IV Missão Jovem Diocesana na Paróquia São Manuel do Marco contou ainda com momentos de oração, animação, celebração eucarística e noite cultural. Foram mais de 400 missionários internos (em especial os crismandos da paróquia) e externos, vindos de outras paróquias.
Da Região Episcopal da Sede, enviaram missionários as paróquias do Patrocínio, Ressurreição, Sagrado Coração de Jesus, Sumaré e Jaibaras. Da Região Episcopal do Coreaú, participaram Coreaú, Massapê, Meruoca e Senador Sá. Da Região Episcopal do Araras, a paróquia de Varjota. Da Região Episcopal Vale do Acaraú, estiveram presentes Jijoca, Morrinhos e Santana do Acaraú. As dioceses de Quixadá e de Tianguá (Paróquia de Graça) também enviaram missionários. Estiveram presentes ainda os seminaristas do Propedêutico e da Filosofia.
A programação teve início na quinta-feira, 26, às 18h, com missa do envio, no Santuário Sagrado Coração de Jesus. Na celebração eucarística foram abençoados, de modo especial, os idosos em virtude da memória de São Joaquim e Sant’Ana. Também foi abençoada água para as visitas às famílias e os missionários receberam bênção de envio. Os jovens missionários foram recebidos pela Comissão Paroquial da IV Missão. Pe. Raimundo Nonato Timbó de Paiva, pároco da Paróquia do Marco, avaliou, durante a missa de encerramento, que a missão alcançou seus objetivos. “Todos os crismandos de nossa paróquia foram considerados missionários internos, o que foi uma boa experiência. Gostaria de agradecer às paróquias que enviaram seus missionários. Foi uma experiência concreta que fizemos de unidade, de fraternidade, de reflexão e de missão”, ressalta.

Partilhar
A liturgia da missa de encerramento no domingo, 29 de julho, abordou o tema da partilha, com o Evangelho da multiplicação dos pães. “Ninguém pode reter para si o que Deus dá para todos”, ressalta Pe. Raimundo Nonato explicando que evangelizar e partilhar os bens é um chamado de todos os cristãos. “Felipe achava que só quem tem dinheiro pode partilhar. Por isso, ele disse que nem 200 denários seriam suficientes para alimentar o povo. Felipe acreditava que o bem-estar iria depender da partilha dos ricos, mas o Senhor quer mostrar outra realidade. Jesus mostra a possibilidade de haver uma grande partilha entre todos e olha não apenas para a alma das pessoas, mas também para o estômago, para a realidade bem concreta”, ressalta.
Jesus também pede que os mais de cinco mil homens se sentem como forma de mostrar que todos são livres em Deus. “Só comiam sentadas as pessoas livres. As pessoas escravas não poderiam se sentar para se alimentar”, explica o sacerdote. A passagem da multiplicação dos pães é ainda uma preparação para que ainda no sexto capítulo do Evangelho de São João Jesus mesmo diga ser o pão da vida. “O pão de Deus é aquele que desce do céu e dá a vida ao mundo. Quem come minha carne e bebe meu sangue tem a vida eterna. É um prenúncio da santa eucaristia”, completa.

Unidade e missão
Wendel Johnson, catequista da Paróquia São Manuel do Marco
Representando os catequistas da Paróquia do Marco, Wendel Johnson destacou que um dos maiores frutos da missão foi a unidade dos grupos juvenis da paróquia. “Pe. Raimundo Nonato sempre nos fala que precisamos ir ao encontro e convidar as pessoas e não apenas esperar que elas venham à Igreja. Foi muito bom porque vimos a unidade dos grupos juvenis da nossa paróquia”, ressalta. Wendel disse ainda ser necessário que o movimento evangelizador siga na Paróquia.

Revonar espiritual
Eduardo Lima, seminarista da paróquia Imaculada Conceição de Hidrolândia
Evangelizar é sempre um aprendizado e um renovar espiritual, segundo o seminarista da paróquia Imaculada Conceição de Hidrolândia, Eduardo Lima. “Renovar espiritual para nós missionários e também para as pessoas que visitamos. Pude perceber junto às famílias as dores e alegrias e quantos corações feridos e machucados. A realidade é ainda muito dura e quanto mais evangelizamos, mais vemos a necessidade de evangelizar. Por isso, a missão continua, nunca acaba. Vemos nos olhos das pessoas a necessidade de Deus, a sede de Deus e não podemos ficar parados, acomodados”, ressalta. Os missionários, segundo Eduardo, devem levar ao povo a misericórdia de Deus. “A missão é escutar as pessoas e, partir do problema posto, falarmos sobre Deus e sobre a misericórdia de Deus, o perdão e o amor de Deus por cada um de nós”, avalia.

Segunda, 06 Agosto 2018 13:44

Pe. Ibiapina: sobralense apóstolo do Nordeste

Escrito por

Paróquia do Cristo Ressuscitado está promovendo uma semana em honra ao Servo de Deus Pe. Ibiapina. Neste sábado, 4, a paróquia programou uma ação social de 8h às 12h com profissionais da Saúde, jurídicos e de cidadania

Conhecido como o “apóstolo do Nordeste”, Pe. Ibiapina nasceu na fazenda Morro do Jaibara, em Sobral, no dia 5 de agosto de 1806. Em seu período como missionário, empreendeu diversas viagens em um infatigável trabalho apostólico que contemplou vários estados: Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Paraíba. Antes de ser sacerdote, Pe. Ibiapina atuou como advogado, renomado juiz de direito e chefe de polícia. Após sua atuação como magistrado, foi eleito deputado, o mais votado à assembléia da nação, na legislatura de 1834-1837; defendeu, no parlamento, a causa dos pobres e dos explorados. Neste ano, em celebração aos 212 anos de nascimento de Pe. Ibiapina, a Paróquia do Cristo Ressuscitado está promovendo uma semana em honra ao Servo de Deus.
A programação na Paróquia teve início na quinta-feira, 2, com o 1º dia do Tríduo às 17h30. Na sexta-feira, 3, a celebração do segundo dia do tríduo às 17h30 foi seguida pela Exposição Padre Ibiapina a partir das 18h. Neste sábado, 4, a paróquia programou uma ação social de 8h às 12h com profissionais da Saúde, setores jurídicos e de cidadania. A missa do terceiro dia do tríduo será às 19h. No domingo, 5, haverá Ofício de Nossa Senhora às 6h com Legião de Maria. O terço da misericórdia e a Adoração ao Santíssimo estarão na programação das 15 às 18h. O encerramento será com Santa Missa às 19h.
Pe. Ibiapina recebeu, no batismo, o nome de José Antonio Pereira Ibiapina. Foi o terceiro filho de um casal pobre, o senhor Francisco Miguel Pereira e dona Teresa de Jesus. Matriculou-se no curso jurídico, formando-se na 1ª turma de Olinda em 1832. No ano seguinte foi nomeado Juiz de Direito e chefe de polícia em Quixeramobim, no Ceará. Também foi eleito deputado de 1834 e 1837, lutando a favor dos pobres. Deixando a carreira política, dedicou-se à advocacia, revelando-se um brilhante advogado, patrocinando, sobretudo, as causas mais difíceis de pessoas desamparadas.

Vocação sacerdotal
Ibiapina, no entanto, só chegou a abraçar a sua verdadeira vocação quando completou 47 anos de idade, ao ordenar-se sacerdote, no dia 26 de julho de 1853. Como padre, trocou o seu sobre nome de Pereira pelo de Maria, em homenagem à Mãe de Jesus, passando a ser chamar Padre José Antônio Maria Ibiapina. Contam os biógrafos que Nossa Senhora apareceu a Padre Ibiapina na extremidade da vida, como tem feito aos Santos.
Missionário itinerante, pensou à frente do seu tempo, atravessou séculos, previu mudanças sociais que se fariam necessárias para construir um futuro humano e cristão para as populações que viriam. Foi assim que decidiu viver junto ao povo, partilhar suas carências e limitações, e resolver, coletivamente, as situações que afligiam as comunidades rurais.
Durante 28 anos, entre 1855 e 1883, Padre Ibiapina realizou missões populares, organizou o povo, reconciliou os ânimos, levantou hospitais, construiu açudes, edificou cemitérios e, sobretudo, ergueu e instituiu as suas famosas casas de caridade. A região percorrida mede 601.758 km 7,07% do território total do Brasil (território maior do que o Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná correspondendo a uma área maior do que Portugal, Itália, Alemanha, Holanda, e Bélgica, juntos). Devido as suas viagens missionárias o comparam com os grandes missionários da igreja, como: São Paulo, Santo Antônio de Pádua, São Francisco Xavier
Sua morte ocorreu numa segunda-feira. 19 de Fevereiro de 1883, às 18h, na sua pequena residência, em Santa Fé (Solânea-Pb), onde está o seu túmulo, visitado por uma imensa multidão de fiéis, de modo especial todos os dias 19 de cada mês.

Ações concretas
Em suas andanças, realizou ações concretas com as populações e levou o povo a confiar em sua própria capacidade de agir e participar. Por onde passava, deixou seu testemunho em obras concretas. Em mutirão, fez 22 Casas de caridade, construiu hospitais, cemitérios, igrejas e capelas. Nas regiões secas, fez açudes para aliviar a sede de populações inteiras.
Na terrível seca de 1877, foram registradas as seguintes palavras do Padre Ibiapina: “Enquanto tivermos água, haverá para todos, Quando não houver mais, morreremos de sede com eles todos.” (Com informações do livro Memória do Padre Ibiapina – O Santo de Santa Fé elaborado pela Diocese de Guarabira/PB)