Diocese

Diocese (373)


A cidade do Rio de Janeiro está em estágio de crise desde as 22h15 desta quarta-feira, 6, em virtude das fortes chuvas. Áreas de instabilidade com intensidade forte a muito forte atingiram a região desde o início da noite de ontem principalmente nas zonas sul e oeste, segundo informa o Centro de Operações da prefeitura da cidade (COR). A previsão ainda é de tempo instável para esta quinta-feira, 7. Segundo o sistema Alerta Rio, do COR, o céu deve ficar nublado a encoberto com chuva fraca a moderada isolada, a qualquer momento. Alguns locais da cidade registraram quedas de árvores e pontos de alagamento. Na noite de ontem, três pessoas morreram: duas em um desabamento de casa, em Guaratiba, na zona oeste, e outra em um deslizamento de terra na Rocinha. Já na segunda-feira, 4, a cidade estava em estágio de atenção. Nesse dia, uma pessoa morreu após a queda de um muro, na Baixada Fluminense. O solo estava encharcado e o muro caiu na hora em que uma mulher passava na calçada. Com o tempo ainda instável, o Cor Rio dá algumas recomendações à população, como só se deslocar em caso de extrema necessidade; evitar andar ou dirigir em ruas alagadas; em pontos de alagamentos, evitar contato com a água, que pode estar contaminada, e com postes ou equipamentos que possam estar energizados, entre outros. Para quem perceber trincas ou algum tipo de abalo na estrutura de sua residência, a recomendação é entrar em contato com a Defesa Civil Municipal pelo número 199, e evitar ficar em casa. Informações em tempo real É possível receber informações em Tempo Real pelo Twitter do COR: twitter.com/OperacoesRio ou via SMS, cadastrando-se no serviço de alertas da Defesa Civil do estado. Basta enviar o CEP de casa para o nº 40199, por mensagem de texto. É gratuito! Fonte: Canção Nova
Depois do pedido de Maduro ao Papa para relançar o diálogo na Venezuela, na manhã desta quinta-feira, 7, a Sala de Imprensa da Santa Sé divulgou um comunicado, através do diretor interino Alessandro Gisotti afirmando: “O Santo Padre sempre se reservou e portanto se reserva a possibilidade de verificar a vontade de ambas as partes determinando se existem condições para seguir este caminho”. Já em Abu Dhabi, Alessandro Gisotti tinha referido que o Secretário de Estado, Cardeal Pietro Parolin, havia confirmado o episódio do líder venezuelano Maduro, que em entrevista a uma emissora italiana, informou que havia enviado uma carta ao Papa Francisco para favorecer a reconciliação na Venezuela. Mediar, se for pedido por ambas as partes No voo de regresso de Abu Dhabi, durante a entrevista coletiva, o Papa falou sobre a crise venezuelana, confessando que ainda não tinha lido a carta enviada pelo presidente venezuelano, mas confirma que é necessário fazer gestos “facilitadores” para uma aproximação. O primeiro passo é o pedido de ambas as partes. Veremos o que se pode fazer. Mas, para que ocorra uma mediação, é necessária a vontade de ambas as partes, ambas as partes pedindo. Também para os países, essa é uma condição que deve fazê-los pensar antes de pedir uma facilitação ou a presença de um observador, ou uma mediação. Ambas as partes, sempre. Recordando o compromisso da Secretaria de Estado na crise venezuelana, Francisco não esconde os poucos resultados alcançados no passado como nos colóquios na República Dominicana entre o governo e a oposição, mediados entre o ex-presidente espanhol Zapatero, representante da Unasur, União das Nações Sul-americanas. Na época, a diplomacia vaticana trabalhou também com dom Emil Paul Tscherring, hoje Núncio Apostólico na Itália e na República de San Marino, continuou depois com Dom Claudio Maria Celli, que teve uma longa carreira na Secretaria de Estado. E ali – afirmou Francisco durante o voo papal – não tivemos frutos. Fonte: Canção Nova
Aulas nas redes municipal e estadual de ensino foram adiadas em virtude da tragédia; diretor comenta trabalho que será feito com as crianças Após a tragédia do último dia 25 em Brumadinho, que deixou até agora 150 mortos e 182 desaparecidos, as consequências ainda podem ser sentidas pelos moradores. As aulas das escolas públicas de Brumadinho, que começariam nesta quinta-feira, 7, foram adiadas, pois muitas estão localizadas em lugares inacessíveis. O retorno das férias aconteceria inicialmente na rede municipal no dia 4 de fevereiro, e já tinham sido adiadas, após uma reunião entre a Secretaria de Educação e coordenadores do município. Na rede estadual, o retorno às escolas aconteceria hoje. A previsão agora é que as aulas comecem na próxima segunda-feira, 11, em todas as escolas públicas. O Diretor da E. E. Paulina Aluotto Ferreira, Márcio Roberto de Souza explica que o motivo do adiamento também das escolas estaduais se deve ao transporte: “Os professores da rede estadual utilizam o mesmo transporte cedido pela prefeitura. A estrada está bloqueada, e eles levam os professores para a zona rural. Por isso o calendário será atualizado, das duas redes, para o mesmo dia.” Leia mais .: Todas as notícias sobre Brumadinho A rede municipal atende 6.000 alunos. Já as três escolas de rede estadual atendem 1.323 crianças e adolescentes. O diretor lembra que, além do problema do acesso de professores e alunos às escolas, também a questão emocional dos alunos têm sido discutida: “Muitos alunos perderam familiares na tragédia. Aqui na escola temos duas crianças que perderam seus pais. Muitos de nossos ex-alunos também morreram. Temos a preocupação de trabalhar o emocional com essas crianças, e para isso uma equipe de psicólogos e terapeutas estará na escola para orientar primeiro os professores, a como abordar a questão com as crianças. Além disso, na primeira semana de aula teremos esta equipe para atender aos alunos.” Souza salienta que o trabalho com os alunos deve ser feito com muito preparo e de forma delicada: “Nessa semana de acolhimento, esperamos fazer dinâmicas, rodas de conversa, discussões em grupo, responder a questionamentos. Reforçar com os alunos a importância do estudo, essa questão da responsabilidade futura. Nossa escola é integral, os alunos do ensino médio chegam às 7h e saem só 17h. Então há disciplinas como Educação para a Cidadania, Iniciação Científica, Projetos, disciplinas em que se está voltado para soluções para a sociedade.” Fonte: Canção Nova
Na manhã desta segunda-feira (04/02), em reunião rotineira da Administração Geral com os coordenadores de serviços, o Provedor da Santa Casa de Misericórdia de Sobral (SCMS), Dom José Luiz de Vasconcelos, juntamente com o Diretor Geral do hospital, Dr. Klebson Carvalho, anunciou a indicação de um novo diretor técnico para a Santa Casa. Trata-se do médico anestesiologista, Dr. Sávio Arcanjo, que substitui o médico nefrologista, Dr. Cristiano Araújo. Após oração de abertura do momento de integração, conduzida pela religiosa Irmã Expedita de Jesus, Dom Vasconcelos anunciou aos coordenadores dos serviços do hospital, presentes ao auditório do Departamento de Ensino, Pesquisa e Extensão (DEPE) a mudança no comando da Direção Técnica do hospital. "A mudança faz parte das medidas implementadas pela nova Direção Técnica do hospital, mas o Dr. Cristiano continua como médico da casa prestando assistência e em outras atividades. Entrei em contato com ele que compreendeu a necessidade da mudança, recebendo com muita serenidade a notícia. Queremos agradecer o empenho do Dr. Cristiano, enquanto esteve à frente da Direção Técnica do hospital, e dar as boas vindas ao Dr. Sávio, que o Espírito Santo o ilumine nesta nova missão", disse Dom Vasconcelos. Seleção - Ainda na reunião, o Dr. Klebson Carvalho convidou o Coordenador de Gestão de Recrutamento de Pessoal da Santa Casa, Carlos Marinho, que anunciou mudanças no processo de admissão de pessoal. "Começamos a fazer um estudo sobre o processo de seleção no hospital, que a partir de agora será um processo institucionalizado, obedecendo todos os preceitos de um processo de seleção, evidenciando as competências da pessoas certa para o cargo certo", explica Dr. Klebson Carvalho. Na ocasião, informou ainda, que na tarde desta segunda-feira (04/02), acontecerá um encontro com a Promotora do Ministério Público do Trabalho, Drª Ana Valéria Targino, no Centro de Parto Normal (CPN), para apresentar os benefícios recebidos pela Santa Casa, provenientes de recursos do Ministério Público do Trabalho aplicados no hospital. Fonte: Diocese Sobral
As entrevistas coletivas com o papa Francisco a 11.000 metros de altitude são sempre uma incógnita. Alguns dias, cansado da viagem, ele evita as principais perguntas sobre o Vaticano e pede que lhe perguntem sobre episódios da viagem. Em outros, como neste domingo, 27, não se importa em falar com desenvoltura sobre os assuntos mais espinhosos. Depois de quatro dias participando da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), no Panamá, e já bem perto de um encontro histórico no Vaticano para discutir a questão dos abusos sexuais com os presidentes de todas as conferências episcopais, Francisco concordou em abordar como questão central de sua entrevista a ferida que faz a Igreja sangrar. Além disso, descartou taxativamente a hipótese de permitir que o celibato seja opcional para os sacerdotes. O Vaticano reunirá todos os presidentes das conferências episcopais entre 21 e 24 de fevereiro para debater e buscar soluções para a praga do abuso sexual de menores. Pela primeira vez, o Papa explicou diretamente a origem do histórico encontro e suas metas. "A ideia nasceu no C9 [o conselho de cardeais que o aconselha nas reformas]. Vimos que alguns bispos não sabiam o que fazer, não entendiam ... Eles faziam uma coisa boa e outra ruim. Então sentimos a necessidade de dar uma catequese sobre este problema às conferências episcopais. [...] Primeiro eles têm que estar conscientes sobre isso", disse. Mas as vítimas e os especialistas exigem medidas concretas que estabeleçam as bases para a mudança de rumo anunciada há anos pela Igreja, sem muitos efeitos palpáveis. A música que emana da "tolerância zero" soa bem, mas são necessárias novas leis e regras, consideram todas as associações. Para o Papa, o problema é que muitos bispos ainda não sabem como lidar com a questão. "Eles precisam saber o que devem fazer, o procedimento. Porque às vezes o bispo não sabe o que fazer. É necessário que se façam programas gerais, mas que cheguem a todas as conferências episcopais: o que o bispo, o arcebispo, o presidente da conferência têm que fazer ... Protocolos que sejam claros: isto é o principal.” A reunião, como já anteciparam os organizadores, e Francisco confirmou durante o voo, será realizada a portas fechadas e moderada pelo padre Federico Lombardi [porta-voz do Papa na época de Bento XVI]. Incluirá vítimas que relatarão suas experiências de modo que os numerosos bispos que ainda estão imunes a esse sofrimento o conheçam diretamente. "A primeira coisa é estar consciente. Haverá orações e depoimentos, haverá liturgias de penitência e para pedir perdão para toda a Igreja", disse ele antes de acrescentar um pouco de água ao vinho. Um antes e depois no tratamento dos abusos? "Deixe-me dizer que senti uma expectativa inflada. É necessário esvaziar as expectativas para esses pontos de que falo. Porque o problema dos abusos continuará: é um problema humano que ocorre em todos os lugares", afirmou, referindo-se à culpa compartilhada a que a Igreja frequentemente se refere nesta questão. Um dos grandes debates em torno do abuso sexual de menores pelo clero geralmente invoca a conveniência de eliminar o celibato. Mas Francisco foi contundente quando questionado sobre se em algum momento permitirá que homens casados sejam padres. A questão se atinha à possibilidade de uma abertura semelhante à da Igreja Anglicana, que facilite a decisão aos jovens que têm vocação e estão em dúvida por causa da dificuldade do caminho. Mas a resposta do Papa permite descartar definitivamente a opção de abolir o celibato como uma solução para a praga dos abusos sexuais. "Uma frase de São Paulo VI me vem à mente: ‘Prefiro dar a minha vida a mudar a lei do celibato.’ É uma frase corajosa, em um momento mais difícil do que este. Pessoalmente, acredito que o celibato é um presente para a Igreja. Além disso, não concordo que seja permitido o celibato opcional, não. [...] É algo pessoal, não vou fazer isso. Mas eu não me sinto capaz de me colocar diante de Deus com esta decisão.” Padres casados como no rito oriental da Igreja? Francisco acredita que só seria possível contemplar essa possibilidade em lugares onde, por causa do isolamento, não é viável encontrar vocações ou padres que permitam a Eucaristia e outras funções básicas. "A questão deve seguir nesse sentido, de onde há problemas pastorais em razão da falta de sacerdotes. Aí se deve pensar nos fiéis. Não digo que deva ser feito porque ainda não refleti o suficiente sobre isso, mas os teólogos têm que estudar isso. Estes são os pontos em que pode ser feito.” Essa é uma figura conhecida como viri probati, para cujo estudo o papa já havia aberto a porta em outras ocasiões. Fonte: El País
O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, disse que escreveu ao Papa Francisco pedindo a sua ajuda e mediação, em entrevista nesta segunda-feira ao canal italiano SkyTG24. “Enviei uma carta ao papa Francisco”, declarou Maduro nesta entrevista gravada em Caracas. “Disse a ele que estou a serviço da causa de Cristo (…) e nesse espírito peço sua ajuda, em um processo de facilitação e reforço do diálogo”. “Os governos do México e do Uruguai, todos os governos caribenhos e do Caricom e o da Bolívia pediram uma conferência de diálogo para o dia 7 de fevereiro”, acrescentou. “Peço ao papa para fazer seus melhores esforços, para colocar sua vontade, para nos ajudar no caminho do diálogo, espero receber uma resposta positiva”, disse Maduro. A União Europeia e o Uruguai anunciaram no domingo a primeira reunião do grupo de contato para promover a organização de novas eleições na Venezuela para o dia 7 de fevereiro em Montevidéu. A UE e oito dos seus Estados membros (Alemanha, Espanha, França, Itália, Portugal, Holanda, Reino Unido e Suécia) estão entre eles, bem como a Bolívia, Costa Rica, Equador e Uruguai para os países da América Latina. O papa participa atualmente de uma reunião internacional inter-religiosa nos Emirados Árabes Unidos e deve voltar a Roma na noite de terça-feira. Enquanto uma dúzia de países europeus – mas não a Itália – reconheceu o opositor Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela, Maduro instou a Europa a “não ser arrastada pelas loucuras de Donald Trump”, o presidente dos Estados Unidos que reconheceu Guaidó e que não exclui uma intervenção militar. “Digo ao mundo inteiro: precisamos de solidariedade, consciência para não ceder à loucura da guerra e transformar a Venezuela em um novo Vietnã”, insistiu Maduro. Fonte: Exame
O Papa Francisco teve um encontro privado na tarde desta segunda-feira, 4 de fevereiro, com os membros do Conselho Muçulmano de Anciãos, reunido na Grande Mesquita do Xeque Zayed, Abu Dhabi, no contexto de sua viagem apostólica aos Emirados Árabes Unidos. Esta mesquita, construída entre os anos de 1996 e 2007, é uma das maiores (pode acolher 40 mil fiéis) e emblemáticas do mundo islâmico e nela está o túmulo do Xeque Zayed, fundador deste país da península arábica. O Pontífice esteve acompanhado durante todo momento pelo Grande Imã de Al-Azhar, Ahmed Mohamed Ahmed al-Tayeb, uma das figuras mais proeminentes do islã, e dos ministros de Assuntos Exteriores, de Tolerância e de Cultura. Após visitar o Mausoléu do Xeque Zayed, o Santo Padre se dirigiu com o Grande Imã ao claustro principal da mesquita, onde participou do encontro privado com os membros do Conselho Muçulmano de Anciãos. Finalizando o encontro, o Papa Francisco se dirigiu ao Founder’s Memorial, onde acontecerá um encontro inter-religioso. Fonte: ACI
Segunda, 04 Fevereiro 2019 13:43

Chuva interrompe trabalho de buscas em Brumadinho

Escrito por
Trabalhos serão retomados assim que chuva der trégua; 205 pessoas continuam desaparecidas A chuva que atinge, desde a madrugada desta segunda-feira, 4, a cidade de Brumadinho (MG), impediu o início do trabalho de busca por vítimas do rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, ocorrida em 25 de janeiro. De acordo com o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, o trabalho, que normalmente começa às 4h, não pôde ser iniciado. As buscas serão retomadas assim que a chuva der uma trégua, segundo o Corpo de Bombeiros. De acordo com a mineradora Vale, que administra a barragem, 205 pessoas continuam desaparecidas. A mineradora Vale divulgou na noite deste domingo, 3, a lista dos nomes dos 114 mortos identificados pelo Instituto Médico Legal. Até o momento, foram encontrados 121 corpos. A Vale também divulgou uma relação dos 205 desaparecidos no incidente. Fonte: Canção Nova
Segunda, 04 Fevereiro 2019 13:38

Papa: onde há vida, há esperança

Escrito por
Ao receber os membros do Movimento Italiano para a Vida, no sábado (2) , o Papa Francisco advogou pela defesa da vida dos que estão para nascer. “Tomar cuidado da vida exige que se faça isso durante toda a vida e até o fim. Também, exige-se que se coloque toda a atenção às condições de vida. A saúde, a educação, as oportunidades de trabalho, e assim por diante; por fim, tudo o que permite a uma pessoa viver de modo digno ” Continuando a falar sobre o Dia da Vida deste ano, o Papa recorda o tema que é “uma passagem do profeta Isaías, que nos comove sempre, recordando-nos a maravilhosa obra de Deus: ‘Eis que estou fazendo coisas novas’, diz o Senhor deixando aflorar seu coração sempre jovem e o seu entusiasmo em gerar todas as vezes como no princípio, algo que antes não havia e trazendo uma beleza inesperada”. “Apagar voluntariamente a vida no seu desabrochar é, em todos os casos, uma traição à nossa vocação, além do pacto que liga reciprocamente as gerações, pacto que permite olhar adiante com esperança. Onde há vida, há esperança! ” “E jamais devemos nos resignar – diz o Papa, – devemos trabalhar conhecendo os nossos limites mas também o poder de Deus”. Ao falar do Movimento recorda “um sinal particular de consolo é dado pela presença de muitos jovens. Caros jovens, vocês são a riqueza do Movimento para a Vida, para a Igreja e para a sociedade. É muito belo ver que vocês dedicam seu tempo e energia para a proteção d vida e o apoio aos mais indefesos”, também evidenciou a importância da laicidade do Movimento que é “fundada na verdade do bem da vida, que é valor humano e civil e como tal, deve ser reconhecido por todas as pessoas de boa vontade”. Por fim recordando mais uma vez a celebração do Dia da Vida o Papa faz um apelo “a todos os políticos, para que, independente das convicções de fé de cada um, coloquem como prioridade do bem comum a defesa da vida dos que estão para nascer e fazer parte da sociedade, à qual devem trazer novidade, futuro e esperança.” Fonte: Site Notícias Católicas
O Conselho dos Leigos da Igreja de Nossa Senhora de Guadalupe, em Maracaibo (Venezuela), informou que no domingo, 27 de janeiro, grupos armados ligados ao governo de Nicolás Maduro invadiram o templo durante a celebração de uma Missa com crianças que se preparam para receber a Primeira Comunhão e profanaram o Santíssimo. O jornalista Lenin Danieri divulgou em seu Twitter que tudo começou no momento em que uma reunião aberta estava sendo realizada na quadra atrás da igreja, "quando grupos de funcionários da prefeitura (assim foram identificados) ameaçaram e atiraram contra os presentes. Eles entraram no templo achando que estavam seguros". O conselho de leigos da igreja Nossa Senhora de Guadalupe denunciou que os grupos armados ligados ao governo "entraram com paus, armas de guerra e até mesmo com granada, algo nunca visto nos 60 anos de existência da nossa paróquia". Em um vídeo que circula nas redes sociais, um sacerdote assinala que os agressores destruíram "o ornamento da igreja, profanaram o Santíssimo Sacramento e atiraram dentro do templo para dispersar os fiéis que participavam da Eucaristia". Além disso, "o pároco, Pe. Andri Sánchez, foi agredido e tinham a intenção de assassiná-lo. Já reconhecemos e sabemos quem o fez: líderes ou supostos líderes do PSUV ", Partido Socialista Unido da Venezuela, liderado por Maduro. O conselho dos leigos da paróquia denunciou que a "profanação da Casa do Senhor colocou em perigo a vida de cerca de 700 pessoas que participam todos os domingos na Missa das Crianças". Diante do ocorrido, os leigos da paróquia decidiram "manter o templo fechado até que algum organismo do governo nacional garanta a vida e a tranquilidade dos nossos paroquianos", assim como começar uma jornada de oração para pedir a proteção de Deus. Em 23 de janeiro, durante protestos contra o governo de Maduro, tropas do exército cercaram a Catedral de Maturín, onde estavam refugiadas cerca de 700 pessoas, incluindo manifestantes da oposição, padres e seminaristas. As pessoas só puderam sair do templo depois de várias horas. Fonte: ACI