Quarta, 17 Outubro 2018 15:43

São confiáveis as promessas de Haddad e Bolsonaro de defender a vida? Sacerdote responde

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)
Nos últimos dias, tanto o candidato Jair Bolsonaro (PSL) como o candidato Fernando Haddad (PT) expressaram que se forem eleitos defenderão a vida e respeitarão os valores católicos. Entretanto, esta promessa é fiável? Para responder à pergunta ACI Digital entrevistou o sacerdote da Arquidiocese do Rio de Janeiro, Padre Augusto Bezerra, conhecido pelo seu apostolado nas redes sociais e sua defesa da vida contra aborto. Vale recordar que Jair Bolsonaro recentemente realizou por escrito um compromisso com a plataforma Voto Católico, afirmando que se eleito não aprovaria nenhuma medida que atentasse contra a vida humana nascente. Já o candidato Haddad visitou a sede da CNBB onde trataram o tema da não legalização do aborto e afirmou, na sua visita à paróquia Santos Mártires em Campo Limpo (SP), que se comprometia “a seguir os princípios colocados pela Igreja Católica para os candidatos”. “Preservar a vida, combater a violência, combater a corrupção, preservar o meio ambiente e garantir a democracia. Vamos fazer um pacto por esses cinco princípios que devem guiar o novo governo”, comprometeu-se Fernando Haddad na ocasião. Entretanto, alguns de nossos leitores escreveram à nossa redação, indagando se estes compromissos eram apenas “promessas de campanha” ou se realmente o eleitor católico pode confiar na palavra dos candidatos. Para elucidar a dúvida dos leitores que, seguramente, também é a de muitos brasileiros que defendem a vida, ACI Digital buscou o sacerdote Augusto Bezerra, que atualmente está estudando em Roma e que pertence à Arquidiocese do Rio de Janeiro, conhecido também pela sua trajetória na defesa da vida e da família através de seu blog, programas de rádio e redes sociais. Vale recordar que nem o candidato Bolsonaro (PSL) nem Fernando Haddad são novos na política (PT). Haddad, além de prefeito de São Paulo (SP), foi ministro no governo do Partido dos Trabalhadores, e Jair Bolsonaro é deputado federal desde 1991. Em sua entrevista, Padre Augusto afirmou: “No Brasil já temos o costume de não acreditar muito no que um político promete e diz durante o período de campanha eleitoral, contudo, se verificamos a trajetória de um candidato, descobrimos quais valores que ele defende”. “Assim, só podemos saber se o que este ou aquele candidato afirma durante a campanha é sincero ou mero oportunismo para vencer a eleição, quando olhamos para sua trajetória política”, completou. “O candidato Haddad faz parte de uma agenda petista, que defende aberta e publicamente o aborto. Portanto, cabe a pergunta: será que ele vai garantir uma iniciativa que não está na agenda do seu partido?”, indaga o sacerdote. “Já quando olhamos para o candidato Jair Bolsonaro (que se define como católico, mas afirmou recentemente que não é um praticante), o que vemos é uma trajetória de defesa da vida que corresponde ao seu mandato na câmara dos deputados. Por isso, haveria mais elementos para confiar que ele, se eleito, efetivamente vetaria qualquer insinuação pela despenalização do aborto seja por parte da câmara ou do senado, em uma investida contra a vida humana nascente”. Assim, continua Pe. Bezerra, “se formos comparando os valores e a trajetória de cada um, nós podemos chegar a um juízo sobre a sinceridade ou não destes compromissos”. “Contudo, não podemos dizer que é impossível que alguém mude de ideia e se converta, mas é preciso estar atentos aos valores que cada candidato possui e as agendas dos seus partidos para não cair em um marketing de campanha e acreditar em promessas feitas somente para angariar votos”, destacou. “Espero que cada um tenha a paciência e o bom discernimento para saber em quem vai votar. Eu como padre não posso indicar em quem um católico deve votar, mas uma coisa posso dizer: católico não vota em abortista! E isso basta”, concluiu. Fonte: ACI
Ler 60 vezes
Educadora 950

 A Rádio da Família Cristã